As mentiras do Apocalipse Protestante! 

O que é a primeira ressurreição?

O que é a primeira ressurreição?

Catecismo da Igreja Católica.

“1002 Se é verdade que Cristo nos ressuscitará "no último dia", também que, de certo modo, já ressuscitamos com Cristo. Pois, graças ao Espírito Santo, a vida cristã é, já agora na terra, uma participação na morte e na ressurreição de Cristo”.

“Fostes sepultados com Ele no Batismo, também com Ele ressuscitastes, pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos. (...) Se, pois, ressuscitastes com Cristo, procurai as coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus (Cl 2,12;3,1)”.

“1003 Unidos a Cristo pelo Batismo, os crentes já participam realmente na vida celeste de Cristo ressuscitado, mas esta vida permanece "escondida com Cristo em Deus" (Cl 3,3). "Com ele nos ressuscitou e fez-nos sentar nos céus, em Cristo Jesus" (Ef 2,6). Nutridos com seu Corpo na Eucaristia, já pertencemos ao Corpo de Cristo. Quando ressuscitarmos, no último dia, nós também seremos "manifestados com Ele cheios de glória" (Cl 3,3)”.

Esse tema é complicado e de difícil compreensão, pois está ligada diretamente a escatológica cronológica do Apocalipse, sendo assim, esse tema gera uma serie de heresias principalmente no meio protestante onde existe uma teologia totalmente material.         

A primeira ressurreição é descrita em “Apocalipse” como uma recompensa aos Santos que levaram sua vida como testemunhas de Jesus Cristo, sendo assim, esse Santo formam parte do Reino Milenar de Jesus Cristo.

Apocalipse 20:

6. Feliz e santo é aquele que toma parte na primeira ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo: reinarão com ele durante os mil anos.    

A grande dúvida é:

 

  • O que é essa primeira ressurreição?
  • Como ela acontece?
  • Quanto ela acontece?

 

Seguindo esse tema, temos que entender o real significado dessa primeira ressurreição, pois ela não é uma ressurreição material e sim espiritual, ou seja, a ressurreição material com corpos gloriosos só se dará no Juízo Final.   

Apocalipse 20:

13. O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo, a morte e a morada subterrânea. Cada um foi julgado segundo as suas obras.

II Tessalonicenses 4:

16. Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro.

Bem, esses textos são referentes a segunda ressurreição que na verdade é uma ressurreição material com corpos gloriosos ou celestiais, porém a primeira ressurreição não é material e sim espiritual, ela ocorre com a graça do “Espírito Santo de Deus” regenerando a macha pecaminosa de Adão transmitida para todo o gênero humano e nos transformando em homens novos, mortos para o pecado e ressuscitados para Graça Divina.        

Parece até loucura essa matéria, mas não é difícil entender isso, irei colocar os textos Bíblicos referentes a primeira ressurreição, peço para que todos os leitores observem o termo “Vida Nova” nesses dois textos.

Apocalipse 20:

4. Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e todos aqueles que não tinham adorado a Fera ou sua imagem, que não tinham recebido o seu sinal na fronte nem nas mãos. Eles viveram uma vida nova e reinaram com Cristo por mil anos.
5. (Os outros mortos não tornaram à vida até que se completassem os mil anos.) Esta é a primeira ressurreição.   

Romanos 6:

3. Ou ignorais que todos os que fomos batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte?
4. Fomos, pois, sepultados com ele na sua morte pelo batismo para que, como Cristo ressurgiu dos mortos pela glória do Pai, assim nós também vivamos uma vida nova.

Esses dois textos parecem distintos um do outros, porém estão ligados em sua teologia, os dois textos são referentes a “Ressurreição” e a uma “Vida Nova”.

Essa é a primeira ressurreição, ela se inicia a partir do nosso Batismo e mortos para o pecado, nós ressuscitamos para graça Divina, assim a nossa participação com o Reino Milenar de Cristo nos Céus se inicia aqui na terra, quando somos Batizados e confirmamos a cada dia esse Batismo estamos ligados diretamente a esse Reino, sendo assim, quando deixamos de peregrinar como estrangeiros nessa terra, recebemos como recompensa o Reino dos Céus no qual estávamos ligados a ele já aqui na terra.

Nesse texto de São Paulo ele explica claramente que ressuscitados (pelo Batismo) estaremos ligados ao Reino dos Céus, ou seja, ao Reino Milenar de Jesus Cristo.

Efésios 2

5. quando estávamos mortos em conseqüência de nossos pecados, deu-nos a vida juntamente com Cristo - é por graça que fostes salvos! -,
6. juntamente com ele nos ressuscitou e nos fez assentar nos céus, com Cristo Jesus.

Ainda fica a dúvida sobre o livro do Apocalipse, como São João escreve no fim da escatologia uma primeira ressurreição e o Reino Milenar? Isso é simples; São João estava escrevendo acontecimentos daquele século e daquela geração, ou seja, tanto a primeira ressurreição (com o Batismo) quanto o Reino Milenar se iniciou naquele século com aquela geração, muitos daqueles recém Batizados foram os martirizados daquela época por não adorarem a Besta (Cezar).

São João estava exatamente se referindo aqueles Cristãos do primeiro século recém Batizados e que foram perseguidos pelos Judeus e pelo Império Romano (Besta), sendo assim, eles foram martirizados por não adorarem a Cezar, sendo eles martirizados receberam como recompensa seu trono nos céus fazendo parte do Reino Milenar de Cristo (no qual ele já estava ligado a partir do Batismo).

A partir daquele século e daquela geração, todos os homens de Deus Batizados que peregrinaram como estrangeiros aqui nessa terra levando a sua vida em santidade e se entregando em nome de Deus, ao deixarem esse exílio que é o nosso corpo nessa vida terrena, recebem como recompensa o seu trono do Reino dos Céus se unindo aqueles primeiro Cristãos que passaram pela Grande Tribulação (Destruição do Templo e a perseguição Cristã).

O Exílio do Corpo:

II Corintíos 5

6. Por isso, estamos sempre cheios de confiança. Sabemos que todo o tempo que passamos no corpo é um exílio longe do Senhor.

Peregrinação como estrangeiros e a busca da pátria celestial:

Hebreus 11

13. Foi na fé que todos (nossos pais) morreram. Embora sem atingir o que lhes tinha sido prometido, viram-no e o saudaram de longe, confessando que eram só estrangeiros e peregrinos sobre a terra (Gn 23,4).
14. Dizendo isto, declaravam que buscavam uma pátria.
15. E se se referissem àquela donde saíram, ocasião teriam de tornar a ela...
16. Mas não. Eles aspiravam a uma pátria melhor, isto é, à celestial. Por isso, Deus não se dedigna de ser chamado o seu Deus; de fato, ele lhes preparou uma cidade.   

Os Santos deixam esse exílio para estarem com Jesus Cristo em seu Reino:

Filipenses 1

22. Mas, se o viver no corpo é útil para o meu trabalho, não sei então o que devo preferir.
23. Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo - o que seria imensamente melhor;

Deixando o exílio do corpo e recebendo o seu trono na pátria celestial:

Apocalipse 20

4. Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e todos aqueles que não tinham adorado a Fera ou sua imagem, que não tinham recebido o seu sinal na fronte nem nas mãos. Eles viveram uma vida nova e reinaram com Cristo por mil anos.

Autor: Cris Macabeus.