As mentiras do Apocalipse Protestante! 

JERUSALÉM: o bairro protestante romano (I Século).

JERUSALÉM: o bairro protestante romano (I Século).

JERUSALÉM: o bairro protestante romano nos tempos de Jesus.

Pergunta: QUAL É A CIDADE ONDE SEU SENHOR FOI CRUCIFICADO? Moisés e Elias respondem aos esquizofrênicos protestantes.

“Passados uns oitos dias, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e subiu ao monte para orar. Enquanto orava, transformou-se o seu rosto e as suas vestes tornaram-se resplandecentes de brancura. E eis que falavam com ele dois personagens: eram Moisés e Elias, que apareceram envoltos em glória, e falavam da morte dele, que se havia de cumprir em Jerusalém.” (Evangelho de São Lucas, Capítulo IX, Versos XXVIII ao XXXI)

Caros rebelados, segundo Moisés e Elias, Jesus Cristo foi crucificado em Jerusalém, porém, se a dúvida continuar, eu peço para próprio Salvador responder:

“No mesmo dia chegaram alguns dos fariseus, dizendo a Jesus: Sai e vai-te daqui, porque Herodes te quer matar. Disse-lhes ele: Ide dizer a essa raposa: eis que expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e ao terceiro dia terminarei a minha vida. É necessário, todavia, que eu caminhe hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não é admissível que um profeta morra fora de Jerusalém.” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XIII, Versos XXXI ao XXXIII)

Segundo o Salvador, a sua crucificação seria em Jerusalém. Será que o Salvador também mentiu?

SEGUNDO A PROTESTADA SIM, O SALVADOR MENTIU, POIS, SEGUNDO A PROTESTADA, QUE POR SINAL, SABE MAIS QUE O SALVADOR, JESUS CRISTO FOI CRUCIFICADO NA CIDADE DE ROMA.

Jesus Cristo, não sabia aonde ele mesmo seria crucificado!

Parece piada, porém, caros leitores, esse embuste é só mais uma esquizofrenia protestante na tentativa frustrada de enganar os verdadeiros Cristãos.

Segundo a mais nova modalidade rebelada, Jesus Cristo, o Salvador da humanidade, foi crucificado em ROMA. Por favor, não riem, pois, temos que levar em consideração a lavagem cerebral, no qual, esses vândalos rebelados passam durante a sessão do descarrego. Mas é isso mesmo, segundo esses esquizofrênicos, Jesus Cristo foi levado para o monte Gólgota e transportado com o monte e tudo para cidade de Roma. Realmente, a fé protestante move montanhas (risos).

Antes de começar esse artigo, eu vou mostrar para todos os leitores, seja você Católico ou protestante, como que nós (Cristãos de verdade) identificamos uma mentira. Prestem atenção no que foi escrito por um desses vândalos.

Observem como atua um mentiroso, aliás, um cidadão totalmente sem escrúpulos que utiliza de mentiras e falsos testemunhos para perseguir a Santa Igreja Católica. Graças a Deus, nem os protestantes dão créditos para esse tipo de blog. Mas, eu quero que o leitor saiba identificar uma mentira:

Primeiro ele diz: “OBVIAMENTE É JERUSALÉM A CIDADE ONDE SEU SENHOR FOI CRUCIFICADO”.

Segundo ele diz: “NO LITERAL, SÓ PODE SER JERUSALÉM A CIDADE ONDE SEU SENHOR FOI CRUCIFICADO”.  

Depois que ele mesmo nos forneceu a verdadeira interpretação, no mesmo parágrafo, ele muda o seu pensamento e diz: “ESSA PASSAGEM NÃO PODE SER INTERPRETADA LITERALMENTE”.

Resumindo: esse maluco simplesmente diz que, deixará de lado a verdade para expor a sua MENTIRA ao leitor. Caro leitor, tome nota disso, ele conhece a verdade e qual é a verdade, o problema é que esses esquizofrênicos são alimentados pelo pai da mentira (o diabo), sendo assim, para eles, tudo é lícito, desde que, seja para perseguir a Santa Igreja Católica.

Bem, eu inicio esse artigo com as próprias palavras desse maluco: É OBVIO QUE JERUSALÉM É A CIDADE ONDE SEU SENHOR FOI CRUCIFICADO.    

Eu irei provar isso!

Caro leitor, na teoria protestante, o fato de Jerusalém, nos tempos de Jesus Cristo, ser uma província romana, Jerusalém teria se tornado em um bairro alônico da cidade de Roma, ou seja, os judeus se transformaram em soldados romanos, a Judeia passou a ser Roma, Israel se transformou na península Itálica (risos) e o mundo virou protestante!

Uma leve reflexão:

Levando em consideração esse pensamento rebelado, supondo que essa teoria fosse válida, Jesus Cristo seria um cidadão romano, e, a Igreja, no qual, a protestada jura não ser romana, teria seu início em ROMA. Tiro no pé!

Mas voltando ao assunto, toda essa baboseira protestante possui um único motivo: PERSEGUIR A SANTA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. Claro, isso não é novidade, esses vândalos são capazes de qualquer deturpação para perseguir a Santa Igreja, até passar por cima de suas próprias ideologias.

Tudo começa com esse versículo do Apocalipse, no qual, é dirigido a GRANDE BABILÔNIA. Observem:

“Seus cadáveres (jazerão) na rua da grande cidade que se chama espiritualmente Sodoma e Egito (onde o seu Senhor foi crucificado)” (Apocalipse, Capítulo XI, Verso XIII) 

O texto é claro e objetivo, não há o que interpretar. Segundo o texto, a GRANDE BABILÔNIA É:

A grande cidade; simbolicamente se chama Sodoma e Egito; é onde o seu Senhor foi crucificado.

Qualquer criança sabe que, a única cidade no mundo, no qual, seu Senhor foi crucificado se chama: JERUSALÉM. Porém, na teoria protestante, essa cidade se chama ROMA, ou seja, ROMA exercendo um domínio sobre Jerusalém; transformou a mesma em um bairro alônico de ROMA. (risos)

O problema é: segundo esse texto, baseando-se na teoria protestante e na realidade da época, JERUSALÉM teria que ter CRUCIFICADO o IMPERADOR ROMANO, pois, o senhor da cidade de Roma, naquele momento, não era Jesus Cristo, pelo contrário, para os romanos, o seu senhor era o próprio imperador (CEZAR AUGUSTO), que por sinal, não poderia ser crucificado, pois, não era ilícito um romano se crucificado. QUE ABACAXI!

ROMA crucificando CEZAR (aplausos).

Obs.: “O Apocalipse foi escrito em koinê, por esse motivo, não se usa versões em inglês, ou, outro idioma para descaracterizar o que foi escrito, a única tradução correta que existe partindo do koinê, se chama, VULGATA LATINA, no qual, São Jerônimo teve contado direto com os manuscritos originais”.

A tradução correta é: a cidade onde SEU senhor foi crucificado.

Bem, existem vários argumentos e muito “blá, blá, blá” sobre esse assunto, no qual, eu não perderei o meu precioso tempo. Nesse artigo, eu apenas refutarei os principais embustes desses rebelados a respeito desse assunto, sendo assim, eu colocarei em “itálico” os argumentos rebelados e logo depois eu farei a refutação.  

Primeiro argumento rebelado: “Jerusalém tornou-se território Romano – as mais altas autoridades religiosas de Jerusalém, e todos os judeus em Jerusalém, chegaram a admitir que César fosse o seu rei (João 19:15). A sabedoria de Deus alcança Roma em cheio como a cidade que reinava sobre os reis da terra. Roma governava com mão de ferro sobre os judeus, por isso Jerusalém desaparece da profecia, dando lugar a Roma que fez da cidade santa uma de suas províncias. Cristo, sofreu uma espécie romana da crucificação. Ele foi acusado de, embora falso, ser rei contra César, o imperador romano”.

Primeiro – Jerusalém se tornou uma província romana e não a cidade de ROMA

Segundo – a cidade que REINA SOBRE OS REIS DA TERRA é própria Jerusalém, capital do reino de Israel e de toda Judeia, no qual, JOSUÉ CONQUISTOU-A SOBRE TRINTA E TRÊS REIS DA TERRA.  

“Estes são os reis da terra que Josué e os israelitas derrotaram aquém do Jordão [...] Ao todo trinta e um reis” (Josué, Capítulo XII, Versos VII ao IX)

Obs.: “O termo terra nos tempos bíblicos era referido apenas aos territórios e não a um planeta”.  

Quem quiser saber mais sobre esse assunto, acesse meu artigo: Quem são: Os habitantes da terra.

Terceiro – o fato dos JUDEUS gritarem que CEZAR era o seu rei, não retira Jerusalém da história, pelo contrário, nesse momento é que ela se torna a PROSTITUTA da Babilônia, ou seja, a cidade que preferiu se prostituir adorando a besta do Apocalipse (abaixo eu explicarei melhor sobre isso) do que adorar Jesus Cristo.

Quanto – a crucificação não foi invenção romana, antes dos romanos, os persas já praticavam a crucificação, Roma, no caso, apenas adotou esse tipo de pena de morte.

Continuando, no caso, se Jerusalém tivesse se tornado um bairro alônico de Roma, ou seja, deixado de ser a Jerusalém judaica para se tornar Roma judaica, Jesus Cristo teria a sua cidadania romana, a Judeia e seus habitantes estariam sobre o jugo das LEIS ROMANAS. Porém, não é isso que vemos no NT.

Se Jesus Cristo tivesse nascido em um bairro alônico romano, ele, Jesus Cristo, teria cidadania romana e jamais Jesus Cristo poderia ter sido CRUCIFICADO, pois, assim como São Paulo (que tinha cidadania romana), um cidadão romano, não poderia ser açoitado (sem o jugo romano), ou, crucificado por outro cidadão romano, aliás, a crucificação, não existia para o cidadão romano, mesmo que esse cidadão tivesse sido condenado.

“Quando o iam amarrando com a correia, Paulo perguntou a um centurião que estava presente: É permitido açoitar um cidadão romano que nem sequer foi julgado? Ao ouvir isso, o centurião foi ter com o tribuno e avisou-o: Que vais fazer? Este homem é cidadão romano. Veio o tribuno e perguntou-lhe: Dize-me, és romano? Sim, respondeu-lhe. O tribuno replicou: Eu adquiri este direito de cidadão por grande soma de dinheiro. Paulo respondeu: Pois eu o sou de nascimento. Apartaram-se então dele os que iam torturá-lo. O tribuno alarmou-se porque o mandara acorrentar, sendo ele um cidadão romano” (Atos dos Apóstolos, Capítulo XXII, Versos XXV ao XXIX)   

Qualquer pessoa que tenha o mínimo de conhecimento Bíblico sabe que, Jesus Cristo não foi julgado segundo as leis romanas, pois, isso só aconteceria se ele tivesse atentado contra um cidadão romano, o que não aconteceu. Sendo assim, dentro de Jerusalém, ainda imperava as LEIS JUDAICAS, no qual, Jesus Cristo foi julgado e condenado a morte. Observem.

“Disse, então, Pilatos: Tomai-o e julgai-o vós mesmos segundo a vossa lei [...] Pilatos entrou no pretório, chamou Jesus e perguntou-lhe: És tu o rei dos judeus? Jesus respondeu: Dizes isso por ti mesmo, ou foram outros que disseram de mim? Disse Pilatos: Acaso sou eu judeu? A tua nação e os sumos sacerdotes entregaram-te a mim (Evangelho de São João, Capítulo XXXI ao XXXV)

Segundo Pilatos, Jerusalém era uma NAÇÃO, POSSUÍA SUAS PRÓPRIAS LEIS e os judeus continuavam sendo JUDEUS. Se Jerusalém tivesse se transformado em um bairro alônico de ROMA, Jerusalém não seria uma nação judaica e não teria a suas próprias leis, no qual, muitas se opunham as leis romanas.

Isso se chama, prova de burro protestada.

Para concluir essa questão, observem como Jesus Cristo não recebeu nenhum tipo de condenação por parte dos romanos.

“Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade?... Falando isso, saiu de novo, foi ter com os judeus e disse-lhes: Não acho nele crime algum (Evangelho de São João, Capítulo XXXI ao XXXVIII)  

Caros leitores, Pilatos não viu crime algum em Jesus Cristo, ou seja, Jesus Cristo foi condenado: PELOS JUDEUS, SEGUNDO AS LEIS JUDAICAS, DENTRO DE UMA CIDADE JUDAICA.

Obs.: O domínio imperial romanos era fundamentado na questão tributária.

Ações romanas perante a condenação de Jesus Cristo:

Pilatos – não viu crime algum no Salvador.

Mulher de Pilatos – acreditava que Jesus Cristo era justo e pedia para que Pilatos não cedesse à pressão dos Judeus.

O centurião ao pé da cruz – ao contrário da nação judaica e da cidade de Jerusalém, o centurião romano reconheceu que Jesus Cristo era realmente o FILHO DE DEUS.

Ficou claro isso protestada?

Segundo argumento rebelado: “Quando Jesus nasceu, diz-se que foi feito um censo em todo território romano, não em território judeu. Lucas 1:2, E ACONTECEU naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que toda a população do império se alistasse […]. Toda a população do império faz referência à população do império romano, o qual governava sobre os reis da terra. Toda a palestina deveria se alistar, e foi denominado como população do império, o império romano. Portanto, o território judeu foi chamado de território romano. A coligação de romanos e judeus governava com autoridade”.

Segundo essa teoria maluca protestante, esse suposto alistamento, transformava o judeu em romano, ou seja, o sujeito, no caso, José, o carpinteiro de Nazaré, saiu do alistamento com uma armadura e uma lança romana gritando “AVE CEZAR!”.

TENHA SANTA PACIÊNCIA!

Deixando de lado as sandices protestantes, na verdade, essa teoria maluca foi baseada em cima desse verso:

“Lucas 1:2, E ACONTECEU naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que toda a população do império se alistasse […]”.

Lendo esse pequeno verso da forma com que ele foi traduzido, realmente, nos dá a impressão de que, os judeus, dentro do território de Israel, no qual, era uma província do império romano, fazia parte da POPULAÇÃO ROMANA, ou seja, nascido em Israel, se alistava como membro do império romano.

O grande problema é: essa teoria maluca foi elaborada em cima DE UM TEXTO TOTALMENTE ADULTERADO PELA ESQUIZOFRENIA PROTESTANTE.

Mais um verso adulterado!

Eu vou deixar claro uma questão nesse artigo, a maior dificuldade em refutar um esquizofrênico protestante, não é refustar suas sandices, pois, isso é mais fácil do que aprender a andar de bicicleta. A maior dificuldade é “desadulterar (risos)” tudo o que eles adulteram. Infelizmente, a esquizofrenia protestante chegou a um grau tão alto, no qual, eles se sentem no poder de mudar tudo o que foi escrito pelos Apóstolos e pregado por Jesus Cristo, simplesmente para satisfazer o seu desejo pessoal.

Faço um desafio: Eu, Cris Macabeus, tiro o meu blog “DIÁRIO ALEXANDRINO” do ar se algum protestante me apresentar um só artigo rebelado que não possua uma adulteração Bíblia, ou, de documentos históricos! 

100% dos artigos protestantes são baseados em textos adulterados. LAMENTÁVEL!

Voltando ao assunto, o verso correto, dentro do seu contexto, sem adulterações malignas é:

“Naqueles tempos apareceu um decreto de César Augusto, ordenando o recenseamento de TODO O MUNDO. Este recenseamento foi feito antes do governo de Quirino, na Síria. Todos iam alistar-se, cada um na sua cidade. Também José subiu da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judeia, à Cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, para se alistar com a sua esposa Maria, que estava grávida” (Evangelho de São Lucas, Capítulo II, Versos I ao V)

Observem como o texto original, nada tem a ver com o texto MALUCO E ESQUIZOFRÊNICO citado pelos rebelados.

Simplesmente, CEZAR AUGUSTO, imperador romano, mandou fazer o recenseamento de TODO O MUNDO. Em nenhum momento esse texto cita: POPULAÇÃO DO IMPÉRIO ROMANO.

Mas o leitor pode estar se perguntando: Como Cris Macabeus poderá provar que esse texto foi adulterado? Resposta simples, eu vou mostrar como está escrito na VULGATA LATINA e na versão KING JAMES.

VULGATA LATINA:

TRADUÇÃO: “E aconteceu que, naqueles dias, saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado.

Bem, não existe nada na vulgata falando a respeito de um suposto recenseamento da população do império romano.

KING JAMES:

TRADUÇÃO: “E aconteceu que, naqueles dias, saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado.

Obs.: tradução realizada pelo próprio site.

Como vimos, juntamente com a VULGATA LATINA, a versão KING JAMES também não possui nada a respeito de um suposto recenseamento da população do império romano.

Na verdade, esse suposto alistamento, nada mais era do que o censo, ou seja, o império romano queria saber quantas pessoas existiam sobre seu domínio tributário, ou seja, o império romano queria ter a exatidão de quantas pessoas pagavam tributos ao império, seja ele judeu, grego, árabe, egípcio etc. Meu Deus, o que isso tem a ver com a transformação de JERUSALÉM EM UM BAIRRO ALÔNICO DE ROMA?

Agora eu pergunto: De onde esses rebelados retiraram esse texto adulterado? Resposta simples, esse texto adulterado foi retirado das milhares de FERRADAS POR ALMEIDA, pois, nós sabemos que existem FERRADAS POR ALMEIDA para todo o gosto.  

Observem como em duas versões os protestantes traduziram corretamente, e, em outras, os mesmos REALIZARAM A SUA ADULTERAÇÃO MALIGNA.

FERRADAS POR ALMEIDA:

Caro leitor, fala sério! É muita safadeza para uma protestada só.

Resumindo: essa historinha é carta fora do baralho protestante.

Terceiro argumento rebelado: “Na verdade, Jerusalém desaparece nesta profecia em Apocalipse, dando lugar a Roma, o que indica que a nação foi sugada, como é evidenciado pelo pronunciamento dos sacerdotes judeus: Não temos outro rei senão César (João 19:15). Ora, se o Rei é Cesar, qual é esse reino?”

Segundo nossos amigos rebelados, JERUSALÉM se transformou em um bairro alônico de ROMA, porque, na época de Jesus Cristo, o povo de JERUSALÉM preferiu gritar o nome de CEZAR como seu rei deixando de lado a figura Jesus Cristo.

Na verdade, o que aconteceu foi que aqueles judeus, habitantes da terra de Jerusalém, SE PROSTITUÍRAM COM A BESTA DO APOCALIPSE (império romano), ou seja, transformaram Jerusalém na prostituta da Babilônia!  

Vamos relembrar qual era a principal característica da PROSTITUTA DA BABILÔNIA?

Vi, então, outro anjo que voava pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para anunciar aos habitantes da terra e a toda nação, tribo, língua e povo. Clamava em alta voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória, porque é chegada a hora do seu julgamento. Adorai aquele que fez o céu e a terra, o mar e as fontes. Outro anjo seguiu-o, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, por ter dado de beber a todas as nações do vinho de sua imundície desenfreada. Um terceiro anjo seguiu-os, dizendo em alta voz: Se alguém adorar a Fera e a sua imagem, e aceitar o seu sinal na fronte ou na mão, há de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice da sua ira. Será atormentado pelo fogo e pelo enxofre diante dos seus santos anjos e do Cordeiro. A fumaça do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos. Não terão descanso algum, dia e noite, esses que adoram a Fera e a sua imagem, e todo aquele que acaso tenha recebido o sinal do seu nome” (Apocalipse, Capítulo XIV, Versos VI ao XI)

Eu vou explicar melhor esse texto.

Primeiro – um anjo voa trazendo um Evangelho a se pregado aos habitantes da terra e a todas as nações. Esse Evangelho é o próprio Jesus Cristo e a sua Palavra, no qual, foi pregado primeiramente aos HABITANTES DA TERRA (Jerusalém), e, depois, a todas as nações (fatos provados Biblicamente).

Segundo – ele pede para ter TEMOR A DEUS, e, ADORAR apenas aquele que fez o céu e a terra.

Terceiro – outro Anjo diz: “Caiu a Babilônia”, que deu de beber o vinho da sua imundice a todas as nações. O texto está se referindo a Jerusalém que, após o exílio babilônico, os judeus se dispersaram sobre o mundo levando os atos de sua rebeldia às outras nações.

Quarto – outro Anjo diz: “se alguém adorar a FERA (besta) [...]. Beberão da cólera Divina”. Qual nação deixou de ADORAR Jesus Cristo para ADORAR CEZAR (besta do Apocalipse)?

Deixarei que as Escrituras Sagradas respondam:

“Era a Preparação para a Páscoa, cerca da hora sexta. Pilatos disse aos judeus: Eis o vosso rei! Mas eles clamavam: Fora com ele! Fora com ele! Crucifica-o! Pilatos perguntou-lhes: Hei de crucificar o vosso rei? Os sumos sacerdotes responderam: Não temos outro rei senão César (Evangelho de São João, Capítulo XIX, Versos XIV e XV)

Essa é a resposta do o porquê JERUSALÉM se tornou a PROSTITUTA DA BABILÔNIA, exatamente porque essa cidade preferiu adorar a CEZAR (besta do Apocalipse) do que adorar Jesus Cristo como seu Deus, Rei dos Reis e Salvador do mundo. Simples assim!

Com todo o respeito do mundo, o cidadão protestante que usa esse tipo de texto para sustentar as suas maluquices, possui um verdadeiro retrocedimento encefálico, pois, isso é um tiro no seu próprio pé! Esse texto mostra claramente que Jerusalém se tornou a prostitua da Babilônia. O fato dos judeus gritarem que CEZAR era o seu rei, não isentou JERUSALÉM DA CULPA de crucificar Jesus Cristo, pelo contrário, foi exatamente nesse momento que JERUSALÉM se tornou a PROSTITUTA DA BABILÔNIA.

Observem como o próprio Apocalipse diz que, os HABITANTES DA TERRA (Jerusalém), foram seduzidos a adorar a besta (império romano).

Vi, então, levantar-se do mar uma Fera que tinha dez chifres e sete cabeças; sobre os chifres, dez diademas; e nas suas cabeças, nomes blasfematórios [...]. Foi-lhe dado, também, fazer guerra aos santos e vencê-los. Recebeu autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação, e hão de adorá-la todos os habitantes da terra, cujos nomes não estão escritos desde a origem do mundo no livro da vida do Cordeiro imolado. Quem tiver ouvidos, ouça! [...]. Vi, então, outra Fera subir da terra. Tinha dois chifres como um cordeiro, mas falava como um dragão. Ela exercia todo o poder da primeira Fera, sob a vigilância desta, e fez com que a terra e os seus habitantes adorassem a primeira Fera (cuja ferida de morte havia sido curada) [...]. Seduziu os habitantes da terra com os prodígios que lhe era dado fazer sob a vigilância da Fera, persuadindo-os a fazer uma imagem da Fera que sobrevivera ao golpe da espada” (Apocalipse, Capítulo XIII, Versos I ao XIV)

Bem, caros leitores, esse texto parece confuso, porém, esse texto é mais simples do que aparenta ser. Esse texto possui apenas três atores:

  1. Uma besta que sobe do mar (império romano);
  2. Uma besta que sobe da terra (Herodes);
  3. Habitantes da terra (judeus).

Herodes era Idumeu, pouco tinha sangue judeu, e, chegou ao poder em Israel por ter influência com o império romano, ou seja, ele devia favores ao império romano, sendo esses favores pagos generosamente seduzindo os HABITANTES DA TERRA (Jerusalém) a proclamar CEZAR como seu rei.

Uma pequena observação:

Na verdade, os judeus, nunca foram monoteístas, em toda sua história, os judeus, sempre adoraram tudo o que viam pela frente, ou seja, eles sempre foram politeístas, é só ler os livros proféticos do AT e o leitor constatará esse fato. Quando a CEZAR, não seria diferente, a cidade que se prostituiu com os deuses de outras nações, certamente iria se prostituir com a BESTA DO APOCALIPSE (império romano).

Quarto argumento rebelado: “A moeda corrente em Jerusalém tinha a face de César, Luc 20:24 – Mostrai-me uma moeda. De quem tem a imagem e a inscrição? E, respondendo eles, disseram: De César. A terra dos judeus transformou-se em território romano”

Agora irei refutar o argumento mais esdrúxulo usado pelos rebelados. Segundo os mesmos, Jerusalém se transformou em um bairro alônico de ROMA, simplesmente por ter usado como moeda comercial a mesma moeda do império romano.

Caro leitor observe com atenção o nome desses outros países.

Timor-Leste; Porto Rico; Ilhas Virgens Britânicas; Equador; El Salvador; Ilhas Marshall; Estados Federados da Micronésia; Palau; Panamá; Turcas/Caicos e Zimbábue.

Todos esses países por mim citado (acima), deveriam se transformar em um BAIRRO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, pois, todos eles possuem o dólar americano como moeda nacional e comercial.

POR FAVOR, JUMENTISMO TEM LIMITE!

De todos esses países, apenas Porto Rico é território dos Estados Unidos, o resto, são países independentes.

Para terminar com esse assunto, eu vou esclarecer para os desinformados que, dentro de Jerusalém, havia como moeda comercial o DENÁRIO (moeda romana) e o DRACMA (moeda grega).

Observem como o pagamento do tributo no templo era realizado com dracma.

“Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas e perdendo uma delas, não acende a lâmpada, varre a casa e a busca diligentemente, até encontrá-la? E tendo-a encontrado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Regozijai-vos comigo, achei a dracma que tinha perdido. Digo-vos que haverá júbilo entre os anjos de Deus por um só pecador que se arrependa” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XV, Versos VIII ao X)      

“Logo que chegaram a Cafarnaum, aqueles que cobravam o imposto da didracma aproximaram-se de Pedro e lhe perguntaram: Teu mestre não paga a didracma? Paga sim, respondeu Pedro. Mas quando chegaram à casa, Jesus preveniu-o, dizendo: Que te parece, Simão? Os reis da terra, de quem recebem os tributos ou os impostos? De seus filhos ou dos estrangeiros?” (Evangelho de São Mateus, Capítulo XVII, Versos XXIII e XXIV)

E agora Zé? Será que Jerusalém se transformou em um bairro alônico grego também? Aliás, será que a Grécia se tornou a prostituta da Babilônia?

O fato de uma moeda internacional circular dentro de um país estrangeiro é comum na história da humanidade, por isso que chama: MOEDA COMERCIAL; pois essa moeda pode ser comercializada em vários lugares. Na época de Jesus Cristo, era comercializado dentro de Israel o DENÁRIO e o DRACMA, assim como o dólar é comercializado em vários países hoje em dia.

Nessas horas eu sinto vergonha alheia!

Quinto argumento rebelado: “A prostituta é vista assentada sobre sete montes. Várias foram as cidades, ao longo da história, conhecidas como cidades de sete montanhas ou colinas. Os muitos por aí que afirmam ser Jerusalém a grande meretriz, como também a cidade sobre sete montes, estão delirando”.

Nesse caso, difícil é entender o que esse rebelado tentou escrever, creio eu, que ele tenha tomado o seu tarja preta na hora de escrever essa sandice, bem, vamos então tentar entender o que ele quis escrever e fazer a refutação.

Primeiro: ele diz que são varias cidade conhecidas que está cercada por sete montanhas.

Segundo: ele diz que é um delírio dizer que Jerusalém é a cidade que está situada entre sete montanhas.

O que eu entendi é que esse esquizofrênico “ACHA” que qualquer cidade no mundo pode estar entre sete montanhas e ser a prostituta da Babilônia; menos Jerusalém (risos).

Isso se chama “ACHISMO”, ou seja, a capacidade que um indivíduo tem de mentir para si mesmo. Todas as características da prostituta da Babilônia, Biblicamente, são referentes à Jerusalém. Não existe uma característica diretamente associada à cidade de Roma, ou, a Santa Igreja Católica. O que vemos por esse mundo virtual é puro “ACHISMO” protestante, no qual, tentar ligar alegoricamente as características da prostituta da Babilônia com aquilo que eles desejam. Eu poderia ligar todo o Apocalipse a segunda guerra mundial, ou, a revolução francesa, mas, eu sou Cristão e tenho a obrigação de expor a verdade, mesmo que essa verdade não me agrade.

Infelizmente, para os protestantes, estar entre sete montes, não é a única característica da prostituta da Babilônia. Além de estar entre sete montanhas, essa cidade matou os profetas do AT, perseguiu os Apóstolos e Discípulos do NT, sempre foi conhecida como A GRANDE CIDADE, simbolizada pela figura de Sodoma e Egito, no qual, crucificou o seu SENHOR.

Caro leitor observe como existe uma série de características, sendo que, talvez, a única que possa ser (arbitrariamente) referida à cidade de Roma é o martírio de alguns Discípulos, no qual, foram entregues aos pagãos pelos judeus (como relata Jesus Cristo). Porém, nem todos foram mortos pelo império romano, muitos (a grande maioria) foram mortos pelos próprios judeus, outros, foram mortos por outras nações etc.

O caso é que, Roma, nunca foi chamada de grande cidade pelos judeus, nunca foi chamada de Sodoma e Egito pelos judeus, nunca matou nenhum dos profetas do AT até João Batista e nunca crucificou o seu próprio senhor (o imperador romano).

Sobre o caso da prostituta da Babilônia estar situada entre sete montanhas, não basta apenas estar situada entre sete montanhas, essa cidade tem que conter todas essas outras características, no qual, eu só citei as principais.

Realmente, assim como Jerusalém, Roma é uma das duzentas cidades que está situada entre sete montanhas, porém, o Vaticano não está entre sete montanhas, na verdade, o Vaticano é uma colina.

Sobre Jerusalém, além de conter Biblicamente todas essas características por mim citadas (acima), Jerusalém também está situada entre sete montanhas. Observem:

Jerusalém: A cidade que está situada entre sete montanhas.

“Aqui se requer uma inteligência penetrante. As sete cabeças são sete montanhas sobre as quais se assenta a mulher São também sete reis: cinco já caíram, um subsiste, o outro ainda não veio; e quando vier, deve permanecer pouco tempo” (Apocalipse, Capítulo XVII, Versos IX e X)

Caro leitor, não é difícil interpretar esse texto, em outros artigos eu já provei que a prostituta da Babilônia é Jerusalém, e, a besta (fera) do Apocalipse se tratava do império romano: dinastia JVLIVS a dinastia FLAVIVS, mas, por que a mulher (Jerusalém) que está situada entre sete montanhas também está sentada sobre a besta?

Isso é simples!

O texto do Apocalipse diz que as sete cabeças são: SETE MONTANHASSETE REIS.  Já a MULHER estava sentada SOBRE ESSAS CABEÇAS.

Como entender essa questão? Bem, caro leitor, eu vou trazer essa alegoria para o literal, ou, para realidade daquele momento em que o livro foi composto. Qual a mensagem referente a essa visão de João, o Evangelista.

Sete cabeças simbolizava sete montanhas: Localidade onde se encontra essa cidade, no qual, era conhecida como prostituta da Babilônia.

Sete cabeças simbolizava sete reis: A forma com que essa cidade era conduzida.

Quando João, o Evangelista, escreve que, a MULHER (cidade) estava entre sete montanhas e montada sobre a besta (sete reis), ele afirma que, Jerusalém se situava entre sete montanhas e era conduzida naquele momento pelo império romano (sete reis, ou, a besta).  

NÃO HÁ DIFICULDADE ALGUMA NO ENTENDIMENTO DESSA PASSAGEM.    

O SALMO (124) diz que, Jerusalém estava cercada por montanhas.

“Como Jerusalém está toda cercada de montanhas, assim o Senhor envolve seu povo, agora e sempre” (Livro de Salmos, Capítulo CXXIV, Verso II)   

Caro leitor, vamos saber quais eram essas montanhas.

“A cultura oriental a que pertence São João diz que, Jerusalém era conhecida como a cidade das sete montanhas” (Pirke de-Rabbi Eliezer, Seção 10)

Estas montanhas são: 

  1. Escopus;
  2. Nob;
  3. O Monte da Corrupção, ou, Monte da Ofensa, ou, Monte da Destruição. (2Reis 23,13);
  4. O original "Monte Sião";
  5. A colina sudoeste também chamada "Monte Sião";
  6. O Monte Ofel;
  7. A Rocha, onde foi construída a fortaleza "Antônia".

Realmente, é um delírio dizer que Jerusalém é a cidade que se situa entre sete montanhas (risos).

Para terminar esse artigo, fugindo um pouco do assunto, eu vou refutar uma babaquice que esses esquizofrênicos protestantes escreveram a meu respeito, prestem atenção:

“Acreditem ou não, caros leitores, mas esse apologista desistiu de defender o ensino de que Pedro redigiu uma de suas cartas de Roma pelo simples fato do texto dizer que ela foi escrita de Babilônia[...] Ele prefere tirar Pedro de Roma para colocar Jerusalém como objeto da ira de Deus em Apocalipse”.

Com essas babaquices podemos observar o quão desonesto são esses protestantes, observem que, para esses rebelados, mentira se tornou um dogma de fé. Caro leitor, mais uma vez eu vou repassar o que eu escrevi sobre esse assunto.

Primeiro – eu falei que (supostamente) não existia problema algum se São Pedro tivesse escrito essa carta de Jerusalém, pois, ser bispo de Roma, não é sentar em uma pedra no monte do Vaticano, e, passar anos e anos naquele local sentado sem sair de lá para nada. Só uma informação para esses esquizofrênicos, os bispos também saem em missão pelo mundo, vide nosso Santo Padre Francisco. Já esteve no Brasil, no Oriente, em Cuba etc.

Segundo – eu jamais retirei São Pedro de Roma. Como eu me referi acima, o fato de São Pedro (supostamente) ter se deslocado para Jerusalém, não retira dele o titulo de bispo de Roma, assim como o Santo Padre Francisco que se deslocou para tantas outras localidades e nunca perdeu seu titulo de bispo de Roma.

Terceiro – eu jamais falei que São Pedro não escreveu essa carta de Roma, pelo contrário, eu afirmo que ele realmente escreveu essa carta de Roma, a única objeção, no qual, eu levantei como dúvida, é quanto à tradução desse trecho:

“salutat vos quæ est in Babylone cumelecta et Marcus filius meus” (I Carta de São Pedro, Capítulo V, Verso XIII)

Infelizmente, o latim, não é de fácil tradução, em muitos casos, a ordem dos valores não altera o produto, só um especialista para traduzir esse texto corretamente, sendo que, eu não sou esse especialista, porém, esse texto poderia ter sido traduzido dessa maneira:

“Saúdo-vos aquela que está em Babilônica, eleita como nós, assim como Marcos meu filho”.  

O que eu afirmei é: São Pedro (supostamente) estava em Roma enviando saudações para aqueles que estavam na Babilônia (Jerusalém), ou seja, ao invés de São Pedro enviar saudações da Babilônia, ele, São Pedro estaria enviando saudações para mesma. Porém, isso foi apenas uma hipótese quanto à tradução do latim, como eu escrevi acima, o latim, não é de fácil tradução, e, eu serei a última pessoa qualificada para realizá-la.

Quando a estadia de São Pedro em Roma, somente um ser perturbado para afirmar que São Pedro não exerceu seu ministério em Roma. Todos os Padres da Santa Igreja e grande parte dos teólogos protestantes são unânimes em afirmar que São Pedro exerceu seu ministério em Roma, realmente, eu nem preciso dessa carta para provar o ministério de São Pedro em Roma.

Cada maluco que me aparece (risos).

Bem, caros leitores, assim eu termino mais uma fanfarrice protestante.

Autor: Cris Macabeus.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
2


Cai a farsa.

Pro Ecclesia.

Servos de Maria.

Apologistas Católicos.

Índice de Mentiras.

Quem sou eu.