As mentiras do Apocalipse Protestante! 

Imortalidade da Alma.

Imortalidade da Alma.

Assim diz a Bíblia Sagrada:

I Tessalonicenses 5

23. O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!

Um SER VIVO é constituído de:

"Corpo, Alma e Espírito". 

Bem meus irmãos.

Depois de muitos séculos o protestantismo está trazendo de volta uma das maiores heresias dentro do Cristianismo, heresia essa que já foi derrubada logo nos primeiros Séculos pelos Pais da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, apenas mantida pelos Adventistas Judaizantes e os Testemunhas de Jeová (que eu nem sei o que são realmente), essa heresia é baseada na crença chamada “mortalidade da alma” onde acreditasse que uma Alma não possui existência sem um corpo físico, ou seja, a morte do corpo é a morte da alma; Esses são os chamados “hereges mortalistas da Alma”, (querem matar o imortal).  

Na exatidão dessa heresia se ensina que:

 

  • Uma Alma existe a partir da nascimento do corpo humano.
  • Um corpo vivo é uma Alma Vivente.
  • A morte do corpo físico é a morte da Alma.
  • A Alma só voltará a existir na ressurreição dos mortos junto com o corpo.

 

Toda essa heresia é baseada em um único versículo Bíblico totalmente isolado e fora do seu contexto original. O versículo é esse:

Eclesiastes 9

5. Com efeito, os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem mais nada; para eles não há mais recompensa, porque sua lembrança está esquecida.

Então temos que analisar corretamente esse versículo em seu contexto, porém primeiro vamos analisá-lo em seu isolamento protestante. Nesse verso diz:

Os mortos não sabem mais nada. (O que isso tem a ver com deixar de existir?).

Para eles não há mais recompensa. (O que isso tem a ver com deixar de existir?).

Sua lembrança está esquecida. (O que isso tem a ver com deixar de existir?).

A resposta é simples: NADA A VER.

Por um acaso se eu fico sem sabedoria eu deixarei de existir?

Por um acaso uma pessoa que deixa de ser recompensado deixa de existir?

Por um acaso se eu perder minhas lembranças eu deixarei de existir?

A reposta novamente é muito simples: Lógico que NÃO.      

Eu posso existir perfeitamente sem sabedoria, sem recompensa e sem lembranças, isso não são atributos para existência humana e muito menos espiritual.

Agora vamos analisar o contexto todo dessa maravilhosa obra profética, observem que o autor diz que os mortos não sabem mais nada, não há mais recompensa e também suas lembranças serão esquecidas; porém ficam algumas perguntas sobre esse verso.

 

  • Do que os mortos não sabem?
  • Qual recompensa os mortos não recebem?
  • Quem lembrança são esquecidas?        

 

O próprio texto responde isso a qualquer herege protestante, vou colocar as respostas:

Eclesiastes 9

6. Amor, ódio, ciúme, tudo já pereceu; não terão mais parte alguma, para o futuro, no que se faz debaixo do sol.

10. Tudo que tua mão encontra para fazer, faze-o com todas as tuas faculdades, pois que na região dos mortos, para onde vais, não há mais trabalho, nem ciência, nem inteligência, nem sabedoria

Nesses dois versos podemos encontrar as respostas sobre essa heresia protestante, observem o que os mortos não saberão, não terão recompensa e também esquecerão.

Amor, ódio, ciúmes, trabalho, ciência, inteligência e sabedoria”. 

É tão simples entender isso, o autor (que empenhou-se apenas nos estudo debaixo do sol) pouco estudou sobre vida espiritual, afirma que depois da morte a Alma na vida espiritual não terá sentimentos carnais e nem desejos materiais; isso não é estudo e sim uma lógica, uma Alma na vida espiritual (Desencarnada) não terá que se casar, ter filhos, trabalhar, estudar entre outras coisas particulares.

Como diz o livro do Apocalipse, no Reino dos Céus a Alma dos Santos servem a Deus dia e noite.

Apocalipse 7

14. Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes. E ele me disse: Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro.
15. Por isso, estão diante do trono de Deus e o servem, dia e noite, no seu templo. Aquele que está sentado no trono os abrigará em sua tenda. Já não terão fome, nem sede, nem o sol ou calor algum os abrasará,            

Exatamente isso que o autor de Eclesiastes explica em seu maravilhoso livro, agora eu pergunto:

De onde os hereges retiraram a idéia de que o autor de Eclesiastes ensina a mortalidade da Alma? Ou um sono eterno até o Juízo?

Jamais esses hereges irão me responder, até porque o próprio autor do livro de Eclesiastes afirma que depois da morte o corpo físico volta ao pó e a Alma volta a Deus. 

Eclesiastes 12 

7. antes que a poeira retorne à terra para se tornar o que era; e antes que o sopro de vida retorne a Deus que o deu.

E agora!

Será mesmo que o autor se enganou em seus últimos textos? Lógico que não, quem se enganou ou fingiu que se enganou foram os próprios protestantes e seus versículos isolados fora do contexto original; até porque se o autor de Eclesiastes pregou a mortalidade da Alma ou o sono eterno, ele estaria contrariando totalmente os outros escritos sagrados, o que faria do livro de Eclesiastes um livro espúrio.  

Vamos passar agora para o (NT), observem que na Nova Aliança acaba de uma vez por todas com qualquer heresia sobre a “Imortalidade da Alma”.   

Vamos começar mostrando Jesus Cristo afirmando que Abraão, Isaque e Jacó então vivos com Deus.

Lucas 20

37. Por outra parte, que os mortos hão de ressuscitar é o que Moisés revelou na passagem da sarça ardente (Ex 3,6), chamando ao Senhor: Deus de Abraão, Deus de Isaac, Deus de Jacó .
38.
Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos; porque todos vivem para ele.

É simples entender esse texto, Jesus Cristo diz que se chama Deus de Abraão porque Abraão está vivo com Deus. (Onde está a mortalidade da Alma?).

Na famosa parábola do Rico e do Lazaro (Alguns hereges dizem que essa parábola é um conto pagão) podemos observar claramente Jesus Cristo afirmando que após a morte o ímpio irá para um lugar de tormento e o justo para um lugar de paz.

Lucas 16

19. Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava.
20. Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico.
21. Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico... Até os cães iam lamber-lhe as chagas.
22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.
23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio.     

A parábola é bem clara, não existe mortalidade da Alma na crença Cristã.

Vamos entrar no Evangelho de São João, colocarei um texto onde Jesus Cristo afirma aos seus discípulos que na casa do Pai (Reino dos Céus) há varias moradas e Jesus Cristo mesmo prepararia uma morada para cada um de seus discípulos.

João 14

2. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar.
3. Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais.
4. E vós conheceis o caminho para ir aonde vou.

Imagine Jesus Cristo preparando uma morada para cada um de seus discípulos sendo que ninguém ira habitar em tal morada? Se a Alma deixa de existir para que Jesus Cristo iria preparar tais moradas?

Porém nesse texto há uma promessa que poucos teólogos percebem, Jesus Cristo afirma que ele mesmo voltaria para levar cada um de seus discípulos com ele (Lógico que seria para habitar nessas moradas), agora eu pergunto: será que ele cumpriu essa promessa?

O livro de Atos dos Apóstolos responde:

Atos 7

55. Mas, cheio do Espírito Santo, Estêvão fitou o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus:
56. Eis que vejo, disse ele, os céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus.

59. E apedrejavam Estêvão, que orava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.              

Observem que Jesus Cristo cumpriu sua promessa logo com o primeiro mártir da Nova Aliança, ou seja, ele vem buscar seu discípulo (Santo Estevão) como prometerá em (João 14) e leva-lo para sua morada no Reino dos Céus; lógico que esse mesmo testemunho serviu para que se cumprisse com os demais discípulos. (Onde está a mortalidade da Alma?).

Assim São Paulo escreve em sua epistola aos Filipenses que seu martírio estava próximo e que não sabia se seria melhor ficar vivo ou ir morar com Jesus Cristo.

Filipenses 1

21. Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.
22. Mas, se o viver no corpo é útil para o meu trabalho, não sei então o que devo preferir.
23. Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo - o que seria imensamente melhor;

São Paulo foi bem claro em sua afirmação “desprender para ESTAR com Cristo”, ele não falou que um dia estaria com Cristo, ele diz (ESTAR) presente ou naquele momento, ou seja, se ele morresse naquele momento estaria com Cristo naquele momento. (Onde está a mortalidade da Alma?).   

Bem poderia ficar aqui escrevendo a semana inteira usando apenas versículos Bíblicos para provar a “imortalidade da Alma”, mas creio que não seja necessário, porém fica uma pergunta:

Para quem Jesus Cristo foi pregar depois da crucificação?

I Pedro 4

5. Eles darão conta àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos.
6. Pois para isto foi o Evangelho pregado também aos mortos; para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito.

(Onde está a mortalidade da Alma?).

Não vou me dar o luxo de colocar aqui o livro do Apocalipse, até porque o Apocalipse é um tiro no pé dos mortalistas da Alma, mas terminarei a matéria com a famosa “Transfiguração de Jesus Cristo” onde três Apóstolos tiveram a visão celestial do Reino dos Céus e nessa visão observaram Moises e Elias ao lado de Jesus Cristo em volta da sua gloria divina.

Lucas 9

27. Em verdade vos digo: dos que aqui se acham, alguns há que não morrerão, até que vejam o Reino de Deus.
28. Passados uns oitos dias, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e subiu ao monte para orar.
29. Enquanto orava, transformou-se o seu rosto e as suas vestes tornaram-se resplandecentes de brancura.
30. E eis que falavam com ele dois personagens: eram Moisés e Elias,

Muitos hereges da “mortalidade da Alma” tentam justificar essa passagem dizendo que Moises e Elias não morreram e por isso eles apareceram na transfiguração, tudo bem que Elias não passou pela morte física e terrena (segundo o texto literal), no entanto isso não quer dizer que Elias não desencarnou, pois São Paulo afirma que nem Carne e nem Sangue participam do Reino de Deus.

I Corintios 15

50. O que afirmo, irmãos, é que nem a carne nem o sangue podem participar do Reino de Deus; e que a corrupção não participará da incorruptibilidade.       

Por isso meus irmãos o fato de Elias não ter experimentado a morte física não quer dizer que ele não se desencarnou, o mesmo aconteceu com Moises; alguns dizem que Moises não morreu e outros dizem que ele morreu e ressuscitou gloriosamente sendo assunto aos céus.

Primeiro devemos lembrar que Moises morreu e foi enterrado.

Deuteronômio 34

5. E Moisés, o servo do Senhor, morreu ali na terra de Moab, como o Senhor decidira.
6. E ele o enterrou no vale da terra de Moab, defronte de Bet-Fogor, e ninguém jamais soube o lugar do seu sepulcro.
7. Moisés tinha cento e vinte anos no momento de sua morte: sua vista não se tinha enfraquecido, e o seu vigor não se tinha abalado.

E nem Moises e nem Elias participaram de uma ressurreição gloriosa (que é diferente de reanimação corporal fato ocorrido com Lazaro) para estar com algum corpo no Reino de Deus.

Até porque ao afirmar que Moises ou Elias participaram de uma ressurreição gloriosa antes de Jesus Cristo comete um sacrilégio contra Os Livros Bíblicos que afirma claramente que Jesus Cristo foi o Primeiro a ressuscitar gloriosamente e entrar no Reino de Deus de Corpo (glorioso) e Alma.

(Lembrando que Corpo material e físico não entrar no Reino de Deus, apenas o Corpo Glorioso no qual Jesus Cristo foi o Primeiro).   

I Corintos 15

22. Assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão.
23. Cada qual, porém, em sua ordem: como primícias, Cristo; em seguida, os que forem de Cristo, na ocasião de sua vinda.

Portanto meus irmãos, ninguém recebeu um corpo glorioso antes de Jesus Cristo, Nosso Senhor foi o primeiro, sendo assim era apenas as Almas Imortal de Moises e Elias no momento da transfiguração.

Eu termino essa matéria usando dois textos Bíblicos que jamais um herege “Mortalista da Alma “ conseguirá explicar, lembrando que para esses hereges uma Alma só possui existência (e vida) com um corpo físico vivo, quando um corpo físico morre a Alma deixa de existir.

Nós Católicos da única Igreja de Jesus Cristo cremos na “Imortalidade da Alma”; que consiste na crença de que uma Alma possui sua existência independente de um corpo físico, ou seja, é a Alma que da a Vida ao corpo físico e que após a morte física do corpo a Alma se desprende desse mesmo corpo, porém continua a sua existência.        

Observem esses textos:

I Reis 17

21. Estendeu-se em seguida sobre o menino por três vezes, invocando de novo o Senhor: Senhor, meu Deus, rogo-vos que a alma deste menino volte a ele.
22. O Senhor ouviu a oração de Elias: a alma do menino voltou a ele, e ele recuperou a vida.

Atos 20

9. Acontece que um moço, chamado Êutico, que estava sentado numa janela, foi tomado de profundo sono, enquanto Paulo ia prolongando seu discurso. Vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo, e foi levantado morto.
10. Paulo desceu, debruçou-se sobre ele, tomou-o nos braços e disse: Não vos perturbeis, porque a sua alma está nele.

No primeiro caso o Profeta Elias ora para que Deus retome a vida de menino que havia falecido, no caso o Profeta pede para que a Alma desse menino retorne ao seu corpo físico, ou seja, é a Alma que da a vida ao corpo físico, se essa Alma pode voltar ao corpo físico é porque ela saiu (ou deixou) esse corpo, o que contraria a tese de que a morte do corpo físico acaba com a existência da Alma.

Já no caso de Atos dos Apostolo São Paulo foi bem claro em afirmar que aquele rapaz no qual sofrera um acidente onde todos davam como morto, ainda estava vivo, pois sua Alma ainda estava nele, ou seja, sua morte só se daria no momento em que sua Alma não estivesse mais em seu corpo físico.

O que acabar totalmente com a Heresia dos “mortalistas da Alma”.    

Aos mortalistas da Alma, a casa caiu.

Autor: Cris Macabeus.       

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
11


Cai a farsa.

Pro Ecclesia.

Servos de Maria.

Apologistas Católicos.

Índice de Mentiras.

Quem sou eu.