As mentiras do Apocalipse Protestante! 

QUAL É A GERAÇÃO do Apocalipse?

QUAL É A GERAÇÃO do Apocalipse?

“Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Verso XXXII)

Assim como nos Evangelhos de São Marcos e São Mateus, São Lucas, o médico colaborador de São Paulo, não deixou de relatar essa informação (não passará essa geração). Os três evangelistas, ao narrar nos Evangelhos os eventos que ocorreria na grade tribulação, nos forneceram particularidades (dentro da narração), no qual, podemos concluir perfeitamente em que momento na história da humanidade iria acontecer a grande tribulação. Vamos citar alguns exemplos:

A GRANDE TRIBULAÇÃO IRIA ACONTECER:

Durante a destruição do templo.

“Como lhe chamassem a atenção para a construção do templo feito de belas pedras e recamado de ricos donativos, Jesus disse: Dias virão em que destas coisas que vedes não ficará pedra sobre pedra: tudo será destruído (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Versos V e VI)

Durante sítio de Jerusalém.

Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Verso X)

Após o início da perseguição apostólica.

Sereis entregues até por vossos pais, vossos irmãos, vossos parentes e vossos amigos, e matarão muitos de vós. Sereis odiados por todos por causa do meu nome (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Versos XVI e XVII)

Obs.: Todos esses eventos ocorreram entre o reinado de Nero a Vespasiano, por volta de 72 A.D. Fatos provados historicamente e arqueologicamente. Durante o reinado de Domiciano por volta de 90 A.D. Se sucedeu a segunda perseguição apostólica, sendo ele o oitavo rei do Apocalipse.  

Para dar mais ênfase ao conteúdo, eu vou expor um relato histórico registrado por alguém que viveu próximo DAQUELA GERAÇÃO.

É justo acrescentar a pregação infalível de nosso Salvador pela qual mostrava estas mesmas coisas quando profetizava assimAÍ das que estiverem grávidas e das que amamentarem naqueles dias! Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado; porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá [...]. Estes acontecimentos ocorreram deste modo no segundo ano do império de Vespasiano, segundo as predições de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que, por seu divino poder, havia visto de antemão estas mesmas coisas como se já estivessem presentes e havia chorado e soluçado, segundo a Escritura dos sagrados evangelistas, que inclusive acrescentam suas próprias palavras:

umas, as que disse dirigindo-se à mesma Jerusalém  (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo VII, Versos I ao III)

Lembrando que, Euzébio, Bispo de Cesareia, o maior historiador do terceiro século, era leitor assíduo dos livros de Flavio Joséfo, o maior historiador do primeiro século, que por sinal, narrou o sítio de Jerusalém, por esse motivo, aquilo que foi escrito por Euzébio, sem dúvidas, possuía propriedades verídicas sobre o assunto.

Segundo a narração de Euzébio, tudo o que JESUS CRISTO profetizou a respeito das TRIBULAÇÕES, incluindo, a fuga que não deveria ocorrer em dia de SÁBADO, se cumpriu no segundo ano do reinado de VESPASIANO (72 A.D.), ou seja, no primeiro século, durante a destruição do templo e NAQUELA GERAÇÃO.

Caro leitor, eu estou me referindo a um Cristão que nasceu um século e meio depois do sítio de Jerusalém, ou seja, esses fatos ocorridos no primeiro século ainda era algo presente na vida desse Cristão, pois, foi algo marcando na história da humanidade, sendo que, para esse Cristão, durante esses eventos, se cumpriu a GRANDE TRIBULAÇÃO.

Agora eu pergunto: SERÁ QUE EUZÉBIO ESTAVA LOUCO? Claro que não, era um senso comum entre os Cristãos dos primeiros séculos que, A GRADE TRIBULAÇÃO, se cumpriu com o sítio de Jerusalém, NAQUELA GERAÇÃO, assim como Jesus Cristo profetizou.

O fato mais importante dentro da narração Evangelista refere-se ao texto onde diz: “não passará essa geração sem que tudo aconteça”. Assim como os três exemplos acima (por mim citado), essa informação é muito importante, pois, ela nos indica o momento exato em que a profecia iria se CUMPRIR.

Obs.: Mas abaixo eu irei explicar o real significado de GERAÇÃO.    

Infelizmente, podemos encontrar no mundo virtual, argumentos chulos como: “a visão do Cris Macabeus é baseada em um versículo apenas, não passará está geração sem que tudo aconteça”. Os rebelados que fazem uso desse tipo argumento, possuem em seu ser, características de alguém possuído por uma entidade demoníaca, pois, aqueles que leem os meus artigos, sabem perfeitamente que eu faço uso todos os setenta e três livros canônicos da Bíblia original, dezenas de livros históricos, apócrifos e da arqueologia. Contrariando o vandalismo protestante, eu não escondo informações do meu leitor.

Continuando o artigo, nesse momento, eu vou expor outros textos Bíblicos, no qual, afirma que, os eventos referentes à grande tribulação, foi profetizados para AQUELA GERAÇÃO apostólica. Observem:

Primeiro – São João, o Evangelista, narra no Apocalipse, o aparecimento da besta (fera), no qual, alguns acreditam se trata do Anticristo. Deixando de lado a teologia sobre – Besta & Anticristo – a realidade é que, no momento das tribulações, o Anticristo iria se manifestar no mundo, isso é fato! Observem as palavras do mesmo autor do Apocalipse em sua primeira carta canônica:

"Todo espírito que não proclama Jesus esse não é de Deus, mas é o espírito do Anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo" (I Carta de São João, Capítulo IV, Verso III)   

Em sua carta, o autor do Apocalipse, afirma que, NAQUELE MOMENTO, o Anticristo estava no MUNDO, ou seja, João, o Evangelista, estava preparando os Cristãos da época para aqueles acontecimentos narrados no Apocalipse. Simples assim!

Segundo – Em sua segunda carta canônica, o mesmo autor do Apocalipse escreveu a seguinte informação:

Filhinhos, esta é a última horaVós ouvistes dizer que o Anticristo vem. Eis que já há muitos anticristos, por isto conhecemos que é a última hora (I Carta de São João, Capítulo II, Verso XVIII) 

João, o Evangelista, diz que, o Anticristo já estava no mundo, aliás, ele usa o termo MUITOS, e, afirma que, aquele era o momento, ou seja, A ÚLTIMA HORA. (o Apocalipse estava para acontecer “me imão”)

Em outras palavras, ou seja, usando a linguagem popular, João, o Evangelista diz: “CORRA QUE O BICHO VAI PEGAR!”. É muito claro isso no texto!

Agora eu pergunto: SERÁ QUE JOÃO, O MESMO AUTOR DO APOCALIPSE ESTAVA LOUCO? Claro que não, ele apenas estava preparando AQUELA GERAÇÃO para o cumprimento de que tudo o que foi profetizado.

Terceiro – São Paulo, rico em sabedoria, formado pela escola de Gamaliel, ao relatar em suas cartas a respeito da grande tribulação – o Apóstolo deixa claro que, NAQUELE MOMENTO, o mistério da INIQUIDADE já estava em ação – ou seja, as tribulações já estavam acontecendo.

“6. Agora, sabeis perfeitamente que algo o detém, de modo que ele só se manifestará a seu tempo. Porque o mistério da iniquidade já está em ação, apenas esperando o desaparecimento daquele que o detém” (II Carta de São Paulo aos Tessalonicenses, Capítulo II, Versos VI e VII) 

Para que ninguém diga que eu estou inventando teologia, ou, interpretações particulares, eu vou expor o pensamento do pastor protestante congregacionista norte-americano, Moisés Stuart. Em seu livro, ele expõe o pensado de Santo Agostinho e alguns Padres da Igreja quanto à interpretação desse texto por mim citado (acima). 

"O que significa a declaração, que o mistério da iniquidade já opera?... Alguns supõem que isso seja dito da parte do imperador romano, e, portanto, Paulo não falou em palavras claras, porque ele não teria suportado a acusação de calúnia por ter falado o mal do imperador romano: embora ele sempre esperava que o que tinha dito que seria entendido como aplicação de Nero" (Santo Agostinho, Citado por Moisés Stuart em seu livro: Um comentário sobre o Apocalipse)

Qualquer pessoa que tenha o mínimo de bom senso consegue entender perfeitamente as palavras escrita por São Paulo (até um pastor protestante por incrível que pareça), no caso, ele, São Paulo, estava se referindo a um evento, no qual, estava ocorrendo NAQUELE MOMENTO

Bem, caros leitores, eu poderia escrever vinte e duas páginas com textos Bíblicos onde afirma claramente que a grande tribulação ocorreu em Jerusalém durante a destruição do templo, porém, ficaria uma leitura cansativa, por esse motivo, eu me propus a expor apenas os textos principais.

Quarto – para terminar esse assunto, eu vou expor o pensamento de São Tiago, bispo de Jerusalém, onde afirma que, a grande tribulação, ocorreu NAQUELA GERAÇÃO.

Caro leito, primeiro, observem as palavras de Jesus Cristo:

“Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta (Evangelho de São Mateus, Capítulo XXIV, Versos XXXII e XXXIII)

MANTENHA O FOCO NESSAS PALAVRAS: “quando virdes tudo isso [...] o Filho do homem estará À PORTA.

Segundo o texto, no momento em que, os Apóstolos observassem AS TRIBULAÇÕES acontecendo, isso teria um grande significado, no qual, seria um sinal para os Cristãos. Então Jesus Cristo diz: ESTARIA PRÓXIMO A PORTA, OU, A PORTA. Bem, existem várias teorias sobre esse tema: ELE ESTÁ A PORTA – porém, essa exegese será feita em outro tópico – pois nesse tópico, eu apenas irei provar que essa profecia se cumpriu NAQUELA GERAÇÃO.

São Tiago, bispo de Jerusalém, pouco antes de ser martirizado, escreve uma carta pastoral, no qual, hoje, ela se encontra como um livro canônico. A grande particularidade dessa carta é que, São Tiago diz (AFIRMA) que essa profecia (ELE ESTÁ A PORTA) se cumpriu naquele momento, ou seja, naquela geração.

Observem:

Tende, pois, paciência, meus irmãos, até a vinda do Senhor. Vede o lavrador: ele aguarda o precioso fruto da terra e tem paciência até receber a chuva do outono e a da primavera. Tende também vós paciência e fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. Não vos queixeis uns dos outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está À PORTA (Carta de São Tiago, Capítulo V, Versos VII, VIII e IX)

EIS QUE O JUIZ ESTÁ À PORTA – palavra de São Tiago, bispo de Jerusalém – eu vou fazer uma exegese sobre esse texto?

No primeiro verso, Tiago ensina a paciência aos Cristãos, pois, seguindo os ensinamentos de Jesus Cristo, ele, Tiago, jamais iria saber o dia e a hora da segunda VINDA DE CRISTO. Assim, todos os Cristãos estavam em constante preparação para essa vinda, no qual, poderia ocorrer no primeiro século assim como depois de duzentos mil anos.  

No segundo verso, Tiago faz uma comparação da segunda vinda de Cristo com a de um lavrador que espera o tempo certo para sua colheita, no caso, ele, Tiago, assegura que, a segunda vinda de Cristo está próxima, mas, ele mesmo, não saberia dizer quanto tempo iria durar esse PRÓXIMO.

No terceiro verso, Tiago acaba com todas as pretensões FUTURISTAS, ele, Tiago, afirma que, as tribulações estavam acontecendo, pois, levando em consideração as pregações de Jesus Cristo sobre as tribulações, no qual, Jesus Cristo afirma que, estaria próxima A PORTA quanto tudo estivesse acontecendo, São Tiago, bispo de Jerusalém afirma naquele momento: EIS QUE O JUIZ ESTÁ A PORTA.

Pergunta para os lunáticos futuristas:

SERÁ QUE SÃO TIAGO, BISPO DE JERUSALÉM, COMETEU UM ERRO EM SUA CARTA CANÔNICA? SERÁ QUE ELE ESTAVA LOUCO?

Obs.: Parece-me que a BRIBA protestante terá alguns livros a menos também no NT.

Bem, não restam dúvidas que, para os Apóstolos, A GRADE TRIBULAÇÃO se cumpriu NAQUELA GERAÇÃO. Está mais do que provado, pois, existem centenas de textos Bíblicos afirmando o mesmo. Para fechar essa questão com chave de ouro, eu vou expor as palavras do próprio autor do Apocalipse, no qual, ele afirma que, naquele momento em que ele escrevia o Apocalipse, ele, João, já vivia em meio das tribulações, ou seja, A GRANDE TRIBULAÇÃO já estava acontecendo NAQUELA GERAÇÃO.

“Eu, João, vosso irmão e companheiro nas tribulações, na realeza e na paciência em união com Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Num domingo, fui arrebatado em êxtase, e ouvi, por trás de mim, voz forte como de trombeta” (Apocalipse, Capítulo I, Versos IX e X)        

Será que é tão difícil para protestada entender que, João estava exilado na ilha de Patmos por causa das tribulações?

Bem, está mais do que provado que, Cris Macabeus, não sobrevive de um versículo apenas.

Antes de iniciar o tema: “GERAÇÃO” – eu quero que o leitor entenda – os três evangelistas narram dois eventos diferentes, no qual, chamamos de: TRIBULAÇÃO (destruição de Jerusalém) e JUÍZO (segunda vinda de Cristo). Caro leitor, observe como são eventos diferentes em tempos diferentes:

“Ao sair do templo, os discípulos aproximaram-se de Jesus e fizeram-no apreciar as construções. Jesus, porém, respondeu-lhes: Vedes todos estes edifícios? Em verdade vos declaro: não ficará aqui pedra sobre pedra; tudo será destruído. Indo ele assentar-se no monte das Oliveiras, achegaram-se os discípulos e, estando a sós com ele, perguntaram-lhe: Quando acontecerá isto? E qual será o sinal de tua volta e do fim do mundo? (Evangelho de São Mateus, Capítulo XXIV, Versos I, II e III)

Segundo o texto, Jesus Cristo faz uma exata referência à destruição do templo, fato ocorrido em 72 A.D. Levando em consideração o fato narrado por Jesus Cristo, os Apóstolos, por sua vez, fazem duas perguntas:

  1. Quando acontecerá isto (destruição do templo)?
  2. E qual será o sinal de tua volta e do fim do mundo (segunda vinda de Cristo)?

Quem quiser saber mais sobre esse assunto, acesse meu artigo: Real significado do termo (Naquele Dia).

Observem a reposta de Jesus Cristo logo após ele concluir os eventos da grande tribulação e os eventos do juízo final.

Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão. Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai (Evangelho de São Mateus, Capítulo XXIV, Versos XXXIV, XXXV e XXXVI) 

Como interpretar esses três versos? Simples:

No primeiro verso, Jesus Cristo diz que, não passaria aquela geração sem que TUDO se cumprisse, ou seja, todos os eventos por ele profetizados iriam se cumprir antes que aquela geração deixasse de existir.

No segundo verso, Jesus Cristo diz que, após se cumprir o que foi profetizado, iria existir OUTRO período, no qual, A PALAVRA DE DEUS (que é Jesus Cristo) seria levada a humanidade até que, CÉU E TERRA deixassem de existir.

No terceiro verso, Jesus Cristo coloca uma EXCEÇÃO a respeito de TUDO O QUE IRIA SE CUMPRIR NAQUELA GERAÇÃO, ou seja, algo do que foi profetizado NÃO iria se cumprir naquela geração, pois, essa EXCEÇÃO só iria se cumprir depois que CÉU E TERRA deixassem de existir. Jesus Cristo afirma isso ao dizer: “porém, quanto AQUELE DIA (JUÍZO), somente o PAI saberá”.

Resumo da escatologia:

  1. Iria vir sobre Jerusalém uma grande tribulação para castigar aquela geração judaica, no qual, preferiam adorar a CEZAR (besta do Apocalipse), do que, adorar a Jesus Cristo, Deus encarnado. Além disso, aquela geração se tornou culpada por todos os crimes cometidos por seus antepassados. 
  2. Após a grande tribulação (o castigo de Jerusalém), a Palavra de Deus seria espalhada por toda a humanidade (REINO MILENAR) sem que ela deixasse de existir até o dia do juízo final. 
  3. Após esse tempo indeterminado, no qual, só o PAI saberá o quanto ira durar, céu e terra deixarão de existir, haverá a segunda vinda de Jesus Cristo, os mortos irão ressuscitar (no último dia), toda humanidade (transformada) será levada para o tribunal de Cristo e haverá o JUÍZO FINAL.

Obs.: JUÍZO é julgamento e não uma brincadeira onde um reizinho sentará em um troninho no céu e começará a brincar de jogar tormentos divinos na humanidade.

O próprio autor do Apocalipse, João, o Evangelista, explica essa questão ao afirmar que, estava escrevendo as coisas ATUAIS e FUTURAS.

“Escreve, pois, o que viste, tanto as coisas atuais como as futuras (Apocalipse, Capítulo I, Verso XIX)

  1. Coisas atuais: TRIBULAÇÃO
  2. Coisas futuras: JUÍZO.

Uma pequena aulinha para protestante lunático:

O termo grego Apocalipse significa: REVELAÇÃO, ao contrario do que a protestada acredita ser O FIM DO MUNDO o seu dignificado. Assim como outros livros do AT, o Apocalipse fornece uma revelação para os Cristãos da época em que o livro foi composto, ou seja, eram profecias para AQUELA GERAÇÃO. O fato de o livro narrar em seus dois capítulos finais o JUÍZO, assim como o livro de Isaias, por exemplo, não transforma todo o seu conteúdo em JUÍZO FINAL, pois, Isaias profere o exílio babilônico para SUA GERAÇÃO, e, nos capítulos finais de seu livro, ele faz revelações sobre o JUÍZO dando esperança de uma vida eterna para aqueles que iriam passar pelo exílio sem deixar de confiar na providência Divina. Do mesmo modo, acontece com o Apocalipse, João profere aquilo que os Cristãos iriam passar no primeiro século, porém, no final do livro, ele nos traz a certeza que, aqueles Cristãos, no qual, foram perseguidos, açoitados, martirizados e oprimidos, receberão no JUÍZO a vida eterna e o deleite da nova Jerusalém.     

Até o momento, eu creio que esteja tudo bem claro ao leitor.

Sabendo que Jesus Cristo narra dois eventos diferentes (tribulação e juízo), no qual, cada evento iria ocorrer em tempos diferentes na história da humanidade, eu vou trabalhar nesse artigo, apenas com o primeiro evento, ou seja, aquele evento que iria se cumprir NAQUELA GERAÇÃO (genea).

O tema é: Qual GERAÇÃO foi contaminada pela MULHER EMBRIAGADA?

Infelizmente, existem hoje no mundo virtual, alguns satanistas, no qual, não possui nenhum tipo de escrúpulo[2], ou, simplesmente, caráter. Na verdade, são pessoas depravadas[3] ligadas ao mais alto escalação da promiscuidade[4] social, tentando corromper pessoas simples e humildes. Esses satanistas, no qual, eu não posso considerá-los como criaturas, pois, foram gerados diretamente pela substância maligna de satanás, adulteram as Escrituras Sagradas ao bel prazer, substituem palavras, ou, simplesmente, modificam frases dentro de um novo contexto para justificar suas heresias.

O verso proposto pelo artigo é esse:

“Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Verso XXXII)

Que geração é essa? Qual o significado dessa geração?

A última novidade satânica foi à tentativa frustrada de tentar substituir o termo: GERAÇÃO por RAÇA, NAÇÃO ou CRENTES. Eu não vou mais ficar dando print's nas babaquices protestantes, graças a Deus, eu não tenho tempo para isso, eu irei apenas refutar tamanha heresia.

Quem quiser saber mais sobre esse assunto, acesse meu artigo: Não passará essa (geração) ou essa (raça)?

Caro leitor, compare a diferença dos meus artigos com os artigos satânicos. Meus artigos são concretos, claros e objetivos, ou seja, eu exponho apenas UMA AFIRMAÇÃO, sendo que, essa afirmação é concreta, pois, em meus artigos, eu afirmo que – ESTA GERAÇÃO (citado no verso) – era aquela geração, no qual, ESCUTAVAM AQUELA PREGAÇÃO, ou seja, a geração que se tornou culpada por todos os crimes de Israel.

Nos artigos satânicos, não há nada concreto, ou seja, os lunáticos lhe darão apenas HIPÓTESES. Em um desses artigos, o herege começa dizendo que, o termo GENEA não pode ser traduzido por GERAÇÃO, pois, a tradução correta é: NAÇÃO, ou, RAÇA. Depois de muito “blá blá blá”, adulterações e improvisos, o herege termina o artigo dizendo que, na verdade, GENEA tem que ser traduzido como CRENTES (riso), ou seja, o sujeito dá tiros para todos os lados no mesmo artigo e termina com uma opinião particular na base do: “eu quero, eu quero e eu quero”.

Caro leitor, o que eu farei sobre esse tema?

  1. Eu irie mostrar a manobra satânica usada por esses hereges para chegar a essa conclusão.
  2. Eu irei mostrar que, supondo que esse argumento fosse válido, Jesus Cristo estaria caindo em contradição, pois, outras profecias, negam a inexistência da raça judaica e dos crentes antes, durante, ou, depois das tribulações.
  3. Eu irei provar através de outros textos Bíblicos que, o termo GENEA, sempre foi traduzido como GERAÇÃO, e, não existe nenhuma base Bíblica, ou, histórica, no qual, sustenta a tradução desse termo como: NAÇÃO, RAÇA, ou, CRENTE.

Eu vou começar a refutação pela manobra satânica protestante na tentativa de adulterar o termo GERAÇÃO.

Segundo os satanistas, usando a concordância STRONG, o termo grego “GENEA”, no qual, os evangelistas usaram para se referir àquela geração, na verdade, seria um sinônimo de “GENOS”, no qual, os evangelistas usavam para se referir a uma RAÇA, ou, NAÇÃO. Segundo essa lógica (usando a concordância Strong), o texto correto seria:

“Em verdade vos declaro: não passará esta NAÇÃO, ou, RAÇA (ISRAEL) sem que tudo isto se cumpra”.     

O problema, nesse caso, é que a concordância Strong, NUNCA disse que GENEA (geração) é sinônimo de GENOS (raça), caro leitor, preste atenção no que diz a concordância Strong:

O que está escrito em inglês é: A PARTIR DE UM SUPOSTO/PRESUMIR DERIVADO DE: G 1085, ou seja, do termo GENOS.

Algum herege conseguiu ler o termo: SUPOSTO/PRESUMIR?

Para ficar mais claro, eu vou expor o significado do termo: PRESUMIR.

Pre·su·mir.

Verbo transitivo.

  1. Julgar segundo certas probabilidades, conjecturar.
  2. Entender, supor; imaginar.

A CONCORDÂNCIA STRONG REFERE-SE A UMA – SUPOSIÇÃOPROBABILIDADECONJECTURAIMAGINAÇÃO, OU SEJA, NADA OBJETIVO.

Supondo que isso fosse verdade, ou seja, o termo GENEA fosse derivado do termo GENOS, eu pergunto: Desde quando uma palavra derivada de outra palavra teria que possuir o mesmo significado?

Vou citar um exemplo no inglês:

Carry = Carregar, transportar.

Carry on = Continuar, prosseguir.

Ninguém escrever CARREGAR com CARRY ON no inglês, como ninguém escrever NAÇÃO com GENEA no grego.

Bem, a concordância Strong, nesse caso, é carta foi do baralho protestante, pois, a mesma, menciona uma SUPOSIÇÃO, no qual, os Apóstolos não trabalharam suas pregações segundo as suposições da concordância Strong.

Mas existe uma justificativa por parte satanista, aliás, que justificativa! Segundo esses rebelados, o termo GENEA, no qual, significa GERAÇÃO, foi traduzido erroneamente, pois, a versão CATÓLICA DA EDITORA AVE MARIA, traduz esse termo como RAÇA em um texto Bíblico. Observem:

Evangelho de São Mateus, Capítulo XXIII, Verso XXXVI.

Na verdade, o único lugar no mundo, no qual, os rebelados encontraram o termo GENEA traduzido como RAÇA, foi na VERSÃO AVE MARIA, que por sinal, a editora cometeu um grande equivoco, na realidade, essa versão possui vários erros em sua tradução, eu mesmo relato esse erros em outros artigos, pois, nós Católicos, não seguimos versões Bíblicas de editoras, nós Católicos, possuímos apenas UMA VERSÃO ORIGINAL, essa versão se chama: VULGATA LATINA – tradução fiel dos manuscritos originais – nada pode estar em desacordo com a Vulgada Latina, ou seja, a editora Ave Maria, não tem poder para mudar o significado de uma tradução.

Caro leitor, observe como São Jerônimo traduziu esse texto na VULGATA LATINA:

Da mesma forma, caro leitor, observe como esse texto foi traduzido na versão King James:

Para concluir, caro leitor, observe como esse texto foi traduzido nas inúmeras FERRADAS POR ALMEIDA:

Engraçado que, nenhuma versão protestante traduziu o termo GENEA por RAÇA, em todos os textos Bíblicos (católico, ou, protestante), no qual, aparece o termo GENEA, a tradução correta é: GERAÇÃO. Somente a versão Ave Maria cometeu esse equivoco, e, no caso, não foi no texto onde Jesus Cristo afirmou que a tribulação iria acontecer NAQUELA GERAÇÃO, porém, repito, a única versão original Católica se chama: VULGATA LATINA.

Usar a versão AVE MARIA para sustentar essa heresia, também é carta foi do baralho protestante, ou seja, nesse caso, São Jerônimo terá que ressuscitar e mudar o que está escrito na Vulgata Latina. Então eu pergunto: Por que esses hereges se propõem a usar uma versão Católica para sustentar suas heresias, e, deixam de lado os milhares de FERRADAS POR ALMEIDAS existentes no mundo? ESQUISITO!  

Caro leito, agora eu vou mostrar para vocês que, adulterando esse verso, ou seja, substituindo o termo GERAÇÃO para NAÇÃO, RAÇA, ou, CRENTES, transformaria todo o NT em um book composto de livros apócrifos e heréticos.   

Primeiramente, vamos deixar de lado a questão sobre: tribulação ser, ou, não um evento futurista. Independente de ter sido algo que já ocorreu, ou, que ainda ocorrerá, o texto referido propõe um MARCO para o cumprimento de tais eventos, ou seja, antes que ALGO desaparecesse, ou, deixasse de existir, os eventos profetizados a respeito da GRANDE TRIBULAÇÃO iria se cumprir, logicamente, após o fim desses eventos profetizados, esse ALGO iria desaparecer, ou, simplesmente, deixar de existir.

Nós Católicos que seguimos a verdade, sabemos perfeitamente que esse ALGO, se tratava DAQUELA GERAÇÃO, ou seja, com o fim das tribulações, AQUELA GERAÇÃO desapareceu. Assim como Euzébio, bispo de Cesareia, narra em seu livro:

“Tendo os que creram em Cristo emigrado até lá desde Jerusalém, a partir deste momento, como se todos os homens santos tivessem abandonado por completo a própria metrópole real dos judeus e toda a região da Judéia, a justiça divina alcançou os judeus pelas iniquidades que cometeram contra Cristo e seus apóstolos, e apagou dentre os homens toda aquela geração de ímpios (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo V, Verso III) 

O texto de Euzébio, bispo de Cesareia, condiz perfeitamente com o cumprimento dessa profecia. 

Já a protestada, contrariando a verdade, os Padres da Igreja e as próprias Escrituras Sagradas, eles decidiram por conta própria modificar as palavras de Jesus Cristo e o seu real significado, sendo assim, segundo a provável futura versão da FERRADA POR ALMEIDA, dando tiros para todos os lados, esse verso ficou dessa maneira:

Primeira opção rebelada:

“Em verdade vos declaro: não passará esta NAÇÃO, ou, RAÇA sem que tudo isto se cumpra”.    

Segunda opção rebelada:

“Em verdade vos declaro: não passará OS CRENTES sem que tudo isto se cumpra”.    

Lembrando: Esses rebelados são tão coerentes em sua exegese, que eles dão ao leitor, duas, ou, mais alternativas para escolher, se o leitor não aceitar a primeira alternativa, pode tentar a segunda, e, assim por diante (risos).

Agora eu vou provar que as duas alternativas contrariam totalmente o resto do NOVO TESTAMENTO, ou seja, acabaria de vez com a inspiração Divina dos livros canônicos do NT.

Não podemos nos esquecer de que, a cronologia escatológica é:

Tribulação – Reino Milenar – Juízo (ressurreição dos mortos e o arrebatamento).

Creio que todo o protestante saudável, aqueles que ainda não passaram pela lavagem cerebral da sessão do descarrego, concorde com essa cronologia. Sabendo disso, concordamos em gênero, número e grau que, depois das tribulações (seja ela futurista, ou, não) haverá um grande período chamado de milênio, no qual, Jesus Cristo reinará com seus Santos e Anjos, sendo assim, somente após esse período haverá a ressurreição dos mortos e o arrebatamento no ÚLTIMO DIA.

Obs.: Aqueles rebelados que passaram pela lavagem cerebral, se sentirão no dever de arrancar o capítulo XX do livro do Apocalipse.

Caro leito, eu sei que está um pouco complicado, porém, vocês entenderão aonde eu quero chegar com essa explicação. Entenda, se Jesus Cristo afirma que ALGO irá desaparecer, ou, deixará de existir depois das tribulações, esse ALGO não irá existir mais durante o Reino Milenar até a ressurreição dos mortos.

Vamos lembra que, São Paulo descreve em suas cartas à existência dos CRISTÃOS durante o Reino Milenar até a ressureição dos mortos no ÚLTIMO DIA. Observem:

“Assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão. Cada qual, porém, em sua ordem: como primícias, Cristo; em seguida, os que forem de Cristo, na ocasião de sua vinda. Depois, virá o fim, quando entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação. Porque é necessário que ele reine, até que ponha todos os inimigos debaixo de seus pés (I Carta de São Paulo aos Coríntios, Capítulo XV, Versos XXII aos XXV)

Esse texto é claro, faz total referência ao Reino Milenar e a ressureição dos mortos no ÚLTIMO DIA, observem como o texto afirma claramente que, antes da ressureição dos mortos, Jesus Cristo reinará até que todos seus inimigos sejam colocados debaixo dos seus pés, ou seja, todo o mal (protestante) será derrotado até o ÚLTIMO DIA. Em outro texto, São Paulo afirma que, até o ÚLTIMO DIA, ou seja, no dia da ressurreição dos mortos, e, logicamente o Juízo, existirá uma grande quantidade de CRISTÃOS andando SOBRE A TERRA.       

“Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, nós que ficamos ainda vivos não precederemos os mortos. Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (I Carta de São Paulo aos Tessalonicenses, Capítulo IV, Versos XV ao XVII)

Quando São Paulo diz: NÓS QUE FICAMOS VIVOS – se refere a NÓS CRISTÃOS – ou seja, os textos são bem claros e objetivos, após as tribulações, haverá um Reino Milenar, no qual, Jesus Cristo derrotará todos seus inimigos, e, concluindo esse Reino, Jesus Cristo entregará esse Reino ao Pai, e assim, haverá a ressurreição dos mortos, ou, propriamente dito, haverá o JUÍZO FINAL.

Caro leitor, eu sei que eu estou sendo repetitivo, porém, eu não quero que vocês percam o foco em uma particularidade, essa particularidade é: Entre as tribulações e o juízo, haverá um Reino Milenar, no qual, não sabemos quanto tempo irá durar, porém, nós sabemos que EXISTIRÃO CRISTÃOS (hebreus, ou, gentios) vivendo sobre o planeta durante esse tempo.

Depois de toda essa conclusão, eu vou mostrar a vocês, leitores, que, usando essa teoria maligna de trocar o termo GERAÇÃO por NAÇÃO, RAÇA, ou, CRENTES, simplesmente, os rebelados destruirão tudo o que São Paulo ensinou no NT.

Primeiro vamos interpretar os verso sem adulterações, em seu contexto original.

“Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra”

Segundo esse verso, as tribulações ocorreram NAQUELA GERAÇÃO, após as tribulações, AQUELA GERAÇÃO desapareceu, ou, deixou de existir, sendo assim, AQUELA GERAÇÃO não irá participar do Reino Milenar até o JUÍZO.   

Tudo muito claro e objetivo, observem como essa exegese não contraria em nada os ensinamentos de São Paulo. Agora vamos para as adulterações rebeladas.

Vamos começar refutando a primeira alternativa rebelada:

“Em verdade vos declaro: não passará esta NAÇÃO, ou, RAÇA sem que tudo isto se cumpra”.    

Segundo o texto rebelado, após as TRIBULAÇÕES, seja ela futurista, ou, não, a raça judaica iria desaparecer, ou, simplesmente, deixar de existir. Até seria válida essa interpretação, pois, os judeus condenaram Jesus Cristo, preferiam se prostituir proclamando CEZAR como seu rei ao invés do Salvador, porém, não podemos nos esquecer de que, a culpa de todo o sangue derramado sobre a terra, caiu apenas sobre AQUELA GERAÇÃO como veremos em outros textos (abaixo). Já as gerações futuras, isto é, as gerações antes do Advento, irão se converter ao CRISTIANISMO e receberão a salvação. Assim como São Paulo afirma:

“Não quero, irmãos, que ignoreis este mistério, para que não vos gabeis de vossa sabedoria: esta cegueira de uma parte de Israel só durará até que haja entrado a totalidade dos pagãos. Então Israel em peso será salvo, como está escrito: Virá de Sião o libertador, apartará de Jacó a impiedade [...] Assim eles são incrédulos agora, em consequência da misericórdia feita a vós, para que eles também mais tarde alcancem, por sua vez, a misericórdia [...] Dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele a glória por toda a eternidade! Amém” (Carta de São Paulo aos Romanos, Capítulo XI, Versos XXV ao XXXVI)

Caro leitor, vamos pensar juntos, se ISRAEL será salvo antes do Advento, devido a uma conversão em massas para o CRISTIANISMO, como que Jesus Cristo iria profetizar o FIM DESSA RAÇA, ou, NAÇÃO após as tribulações? São Paulo não diz em suas cartas que os CRISTÃOS irão existir durante o Reino Milenar até o Advento? E os judeus que que irão se converter, serão o que?

Agora vamos refutar a segunda alternativa rebelada:

“Em verdade vos declaro: não passará OS CRENTES sem que tudo isto se cumpra”.    

Caro leitor, essa alternativa é mais satânica do que a primeira, aliás, além de transformar todo o NT em um book de livros apócrifos e heréticos, essa alternativa transformaria o CRISTIANISMO em uma espécie de consumação Kamikaze[5]. Entenda o que eu estou me referindo, segundo essa teoria, após as TRIBULAÇÕES, seja ela futurista, ou, não, OS CRISTÃOS CRENTES, iriam desaparecer, ou, deixar de existir. Então eu me pergunto: Qual CRISTÃO ficará vivo, e, andando sobre a terra durante o Reino Milenar até o JUÍZO?    

A única alternativa para esses rebelados sustentarem essas adulterações, seria usar outra heresia chamada: PRÉ-TRIBULACIONISMO. Porém, sabemos que, o chamado pré-tribulacionismo é uma mentiras satânica, pois, os Cristãos, sejam eles judeus ou gentios, não foram isentos da GRANDE TRIBULAÇÃO. As Escrituras Sagradas falam por mim:

“Então um dos Anciãos falou comigo e perguntou-me: Esses, que estão revestidos de vestes brancas, quem são e de onde vêm? Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes. E ele me disse: Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro” (Apocalipse, Capítulo VII, Versos XIII e XIV)    

“Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, [...] Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (I Carta de São Paulo aos Tessalonicenses, Capítulo IV, Versos XV ao XVII)

Resumindo: os CRISTÃOS (seja ele judeu, ou, gentio) irão existir antes, durante e depois das tribulações passando pelo reino milenar até o JUÍZO. Sendo assim, adulterar o termo GERAÇÃO por NAÇÃO, RAÇA, ou, CRENTE, iria contrariar toda essa sequencia cronológica da escatologia.

Realmente, esses gesuises protestantes são meio retardados, só pode! Em um livro do NT eles afirmam que os Cristãos irão desaparecer depois das tribulações, e, em outro livro os mesmos gesuises afirmam que, os judeus e os Cristãos irão existir durante as tribulações e todo o Reino Milenar até o JUÍZO.   

Bem, tentar adulterar o termo GERAÇÃO, também é carta fora do baralho protestante.

Mas, nossos amigos rebelados são criativos, ainda na tentativa de justificar essa adulteração maligna, os satanistas tentaram usar como argumento, o fato de Jesus Cristo dizer que: ESTARIA COM OS APÓSTOLOS POR TODOS OS SÉCULOS, sendo que, aquela geração Apostólica, deixou se existir, pois, eles morreram no primeiro século.

Nesse caso, a resposta é simples, Jesus Cristo, o Salvador, está com os Apóstolos até hoje, esteve com eles na terra durante aquela geração e está com eles nesse momento no REINO DOS CÉUS. São Paulo afirma que estava partindo dessa vida para ESTAR COM CRISTO.

“Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Mas, se o viver no corpo é útil para o meu trabalho, não sei então o que devo preferir. Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo - o que seria imensamente melhor” (Carta de São Paulo aos Filipenses, Capítulo I, Versos XXI, XXII e XIII)  

Se São Paulo estava deixando essa vida para ficar ao lado do Salvador, é sinal de que o Salvador estaria com os Apóstolos por todos os séculos.

Continuando:

Ainda resta uma argumentação a ser refutada. Segundo a mais nova peripécia protestante, a visão Católica, no qual, afirma que, TODAS AS TRIBULAÇÕES ocorreram NAQUELA GERAÇÃO está errada, pois, estudiosos afirmam que Jesus Cristo nasceu antes do ano um do calendário Cristão, ou seja, se ele nasceu por volta de (8 A.C.), e, a destruição do templo ocorreu por volta de (72 A.D.), ultrapassaria o período de quarenta anos, no qual, corresponde a uma geração segundo a cultura hebraica.

Engraçado, depois dos hereges usarem uma matéria maçônica da Discovery onde diz que, Jesus Cristo se casou com Maria Madalena e teve um filho chamado Judá, agora, os hereges querem usar uma teoria Ateísta. Bem propício, pois, nós sabemos que o protestantismo é um pé para o ateísmo.

Improvisos a parte, nada dentro da Bíblia Sagrada possui uma exatidão numérica, ainda mais se tratando de profecias proferidas em um tempo, no qual, não se possuía nenhum método cientifico para elaboração de um calendário. Mesmo assim, eu irei provar que, as tribulações ocorreram exatamente DENTRO DAQUELA GERAÇÃO, assim como Jesus Cristo profetizou, e, dentro dos parâmetros Bíblicos.

A Bíblia Sagrada, segundo a cultura hebraica, diz que, uma geração, se refere a um período entre: quarenta a cem anos, ou seja, tudo o que ocorrer dentro de quarenta a cem anos, está dentro de uma geração segundo os hebreus.  

O período entre quarenta anos:

Eu me indignei contra aquela geração, porque andavam sempre extraviados em seu coração e não compreendiam absolutamente nada dos meus desígnios. Por isso, em minha ira, jurei que não haveriam de entrar no lugar de descanso que lhes prometera! (Carta aos Hebreus, Capítulo III, Verso X e XI)

O texto referido diz que, aquela geração, perversa, não entrou na terra prometida. Quem possui entendimento teológico, sabe que aquela geração, peregrinou quarenta anos no deserto até o momento em que, se deu origem a geração posterior, no qual, entrou na terra prometida.

Os israelitas comeram o maná durante quarenta anos, até a sua chegada a uma terra habitada. Comeram o maná até que chegaram aos confins da terra de Canaã (Êxodo, Capítulo XVI, Verso XXXV)

Agora, a mesma Bíblia Sagrada, diz que, os hebreus, foram escravos no Egito durante QUATRO GERAÇÕES. Quem possui entendimento teológico, sabe que o período de escravidão no Egito foi de quatrocentos anos, ou seja, uma geração a cada cem anos.

“O Senhor disse-lhe: Sabe que teus descendentes habitarão como peregrinos uma terra que não é sua, e que nessa terra eles serão escravizados e oprimidos durante quatrocentos anos. Mas eu julgarei também o povo ao qual estiverem sujeitos, e sairão em seguida dessa terra com grandes riquezas. Quanto a ti, irás em paz juntar-se aos teus pais, e serás sepultado numa ditosa velhice. Somente à quarta geração os teus descendentes voltarão para aqui, porque a iniquidade dos amorreus não chegou ainda ao seu cúmulo” (Gêneses, Capítulo XIV, Versos XIII ao XVI)

Nesse maravilhoso texto, Deus diz a Abraão que, somente a quarta geração de seus descendentes voltaria para terra prometida depois da escravidão, no caso, a mesma Bíblia diz que, essa escravidão, durou cerca de quatrocentos anos.                     

A permanência dos israelitas no Egito durara quatrocentos e trinta anos. Exatamente no fim desses quatrocentos e trinta anos, todos os exércitos do Senhor saíram do Egito” (Exodo, Capítulo XII, Versos XL e XLI)

Concluindo essa argumentação, qualquer pessoa com o mínimo de sabedoria, consegue entender perfeitamente que, uma geração, dentro da cultura hebraica, condiz a um período entre: quarenta a cem anos.

Agora eu vou analisar se realmente os eventos decorrentes a tribulação, ocorreu entre esse período de quarenta a cem anos. Vamos lá:

  1. A pregação de Jesus Cristo (sobre as tribulações) se deu por volta de 30 a 33 A.D. (com variação de oito anos) 
  2. A primeira perseguição apostólica se deu por volta de 55 a 65 A.D. (com variação de oito anos) 
  3. A destruição do templo se deu por volta de 72 A.D. (com variação de oito anos) 
  4. A segunda perseguição apostólica se deu por volta de 90 A.D. (com variação de oito anos)

Utilizando a suposta data da pregação de Jesus Cristo, menos a variação de oito anos, no caso, essa pregação teria ocorrido por volta de 25 A.D.

Agora, eu pegar a data da primeira perseguição apostólica, no qual, marcou o início das tribulações, essa perseguição ocorreu entre 55 a 64 A.D., com variação de oito anos, teria ocorrido exatamente em um período entre trinta e cinco a quarenta anos, ou seja, ocorreu exatamente dentro dos quarenta anos propostos pela cultura hebraica.

A segunda perseguição apostólica, no qual, marcou o fim das tribulações, teria ocorrido por volta de 90 A.D. com variação de oito anos, teria ocorrido exatamente em um período de sessenta e cinco anos, ou seja, dentro dos cem anos propostos pela cultura hebraica.

Já à destruição do templo de Jerusalém, se deu por volta de 72 A.D., com variação de oito anos, teria ocorrido em um período de quarenta e sete anos, ou seja, no ápice das tribulações, sendo assim, a destruição do templo ocorreu entre a primeira e a segunda perseguição apostólica, dentro DAQUELA GERAÇÃO.

Agora eu pergunto aos rebelados: QUAL A DIFICULDADE EM ENTENDER ISSO? Qualquer aluno do primeiro ano de catequese tira isso de letra.

Para concluir esse maravilhoso artigo, totalmente esclarecedor, eu irei mostrar que, o termo: ESTÁ GERAÇÃO – por várias vezes é citado nos Evangelho – que por sinal, sempre se referindo àquelas pessoas, no qual, escutavam as pregações de Jesus Cristo.

Caro leitor, eu quero iniciar essa explicação usando o maravilhoso MAGNIFICAT. Creio que virgem Maria, a bem-aventurada por TODAS AS GERAÇÕES, nos apresente a melhor definição sobre o real significado do termo: ESTÁ GERAÇÃO.

Observem:

“E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes” (Evangelho de São Lucas, Capítulo I, Versos XLVI ao LII)

Esse texto foi um murro na cara dos protestantes futuristas, no qual, dizem que, o termo: ESTÁ GERAÇÃO – se refere a todas as gerações de Cristãos por todos os séculos e séculos. Se contrapondo as teorias malignas protestantes, no primeiro momento, virgem Maria diz: “me proclamarão bem-aventurada TODAS AS GERAÇÕES.

Caro leitor, vamos juntos refletir essas maravilhosas palavras de virgem Maria!

Assim como Jesus Cristo, virgem Maria possuía todo o conhecimento sobre a cultura hebraica, no caso, virgem Maria usa o termo: TODAS – para ser referir a várias gerações existentes até o fim do mundo – por sua vez, a protestada diz que, o termo usado para se referir a várias gerações existentes até o fim do mundo é: ESTÁ.

Quem estará com a razão, virgem Maria, ou, a protestada? Eu fico com virgem Maria.

No caso da protestada estar com a razão (suposição), virgem Maria teria dito: “me proclamarão bem-aventurada ESTÁ GERAÇÃO. Pois, seguindo a lógica protestante, ela já estaria se referindo a todas as gerações de Cristãos.    

No segundo momento, virgem Maria piora a situação protestante, pois, a bem-aventurada diz: “Sua misericórdia se estende de GERAÇÃO EM GERAÇÃO.     

Fica clara a ideia de que, na cultura hebraica, o termo GERAÇÃO, era referente a um CICLO, no qual, se reconstituía de um período a outro, no caso, era referente a um período entre quarenta a cem anos (como vimos acima).

Assim como no primeiro exemplo, supondo que a teoria maligna protestante estivesse correta, virgem Maria teria dito: “Sua misericórdia se estende por ESTÁ GERAÇÃO.

Graças a Deus virgem Maria não era protestante e a Bíblia não se contradiz, pelo menos a Bíblia original sem mutilações e adulterações (risos).

Resumindo esse texto:

Maria usa o termo: TODAS AS GERAÇÕES – se referindo àquela geração presente – e, as próximas gerações futuras. No entanto, Jesus Cristo usa o termo: ESTÁ GERAÇÃO – para se referir apenas àquela geração presente – caso contrário, os Evangelhos estariam em contradição. Assim como a matilha protestante!

Seguindo a mesma lógica, nesse momento, eu vou citar novamente o texto de SÃO LUCAS, no qual, refere-se ao CASTIGO PROMETIDO À JERUSALÉM (tribulação).

Ai de vós, que edificais sepulcros para os profetas que vossos pais mataram. Vós servis assim de testemunhas das obras de vossos pais e as aprovais, porque em verdade eles os mataram, mas vós lhes edificais os sepulcros. Por isso, também disse a sabedoria de Deus: Enviar-lhes-ei profetas e apóstolos, mas eles darão a morte a uns e perseguirão a outros. E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos XLVII ao LI)

Observe como Jesus Cristo se dirige diretamente aos FARISEUS, pois, naquele momento, existia uma ação, no qual, foi reprovada por Jesus Cristo. Segundo o texto, os FARISEUS prestavam homenagens aos profetas que foram mortos por seus ancestrais (gerações passadas). No caso, quanto Jesus Cristo diz: “pedirá conta está geração”. Ele apontava diretamente para aqueles FARISEUS que praticavam aquela ação, naquele momento. Jesus Cristo não se referia à gerações futuras.

Outro texto importante sobre esse assunto está no mesmo capítulo por mim citado. Observem:

“Afluía o povo e ele continuou: Esta geração é uma geração perversa; pede um sinal, mas não se lhe dará outro sinal senão o sinal do profeta Jonas. Pois, como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim o Filho do Homem o será para esta geração. A rainha do meio-dia levantar-se-á no dia do juízo para condenar os homens desta geração, porque ela veio dos confins da terra ouvir a sabedoria de Salomão! Ora, aqui está quem é mais que Salomão. Os ninivitas levantar-se-ão no dia do juízo para condenar os homens desta geração, porque fizeram penitência com a pregação de Jonas. Ora, aqui está quem é mais do que Jonas” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos XXIX ao XXXII)

Nessa situação, o povo, DAQUELE MOMENTO, pedia um sinal a Jesus Cristo, porém, Jesus Cristo reportando-se para aquele povo, DAQUELE MOMENTO, diz: “esta geração é uma geração perversa”. Caro leitor, não existe a mínima possiblidade de Jesus Cristo estar se referindo a uma geração futura, ou, aos CRENTES DE TODOS OS SÉCULOS (risos). Ele se dirigia àquelas pessoas, no qual, escutavam as suas pregações.

Continuando no Evangelho de São Lucas, observem como Jesus Cristo se reporta àquela geração como a geração, no qual, seria culpada por sua crucificação.

“Os fariseus perguntaram um dia a Jesus quando viria o Reino de Deus. Respondeu-lhes: O Reino de Deus não virá de um modo ostensivo. Nem se dirá: Ei-lo aqui; ou: Ei-lo ali. Pois o Reino de Deus já está no meio de vós. Mais tarde ele explicou aos discípulos: Virão dias em que desejareis ver um só dia o Filho do Homem, e não o vereis. Então vos dirão: Ei-lo aqui; e: Ei-lo ali. Não deveis sair nem os seguir. Pois como o relâmpago, reluzindo numa extremidade do céu, brilha até a outra, assim será com o Filho do Homem no seu dia. É necessário, porém, que primeiro ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração (Evangelho de São Lucas, Capítulo XVII, Versos XX ao XXV)

O texto é claro, Jesus Cristo usa o termo: GERAÇÃO – se referindo àquela geração que iria rejeitá-lo – sendo assim, fica evidente que ele não estava se referindo a gerações futuras.

Já o Evangelho de São Marcos, nos apresenta um texto didático sobre esse assunto, nesse texto, Jesus Cristo claramente afirma que, a geração, no qual, ele se referia, era aquela geração presente, contemporânea a sua vida pública. Observem:

“Respondeu um homem dentre a multidão: Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito mudo. Este, onde quer que o apanhe, lança-o por terra e ele espuma, range os dentes e fica endurecido. Roguei a teus discípulos que o expelissem, mas não o puderam. Respondeu-lhes Jesus: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos hei de aturar” (Evangelho de São Marcos, Capítulo IX, Versos XVII ao XIX)

Bem, a cena descrita nesse texto é: um homem trouxe seu filho para que os DISCÍPULOS (DAQUELE MOMENTO) de Jesus Cristo o curasse, porém, os mesmos, não conseguiram realizar a cura, no entanto, Jesus Cristo aponta para eles dizendo: “geração de incrédulos”. O texto é claro, Jesus Cristo, se referia aquela geração do momento, contemporânea a sua vida pública.

Em outra passagem do Evangelho de São Marcos, novamente, Jesus Cristo usa o termo: GERAÇÃO – se referindo àquelas pessoas – no qual, escutava as suas pregações.     

“Porque, se nesta geração adúltera e pecadora alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os seus santos anjos” (Evangelho de São Marcos, Capítulo VIII, Verso XXXVIII)

Deixo para que o leitor defina por si mesmo, quem era a geração pecadora e adúltera que se envergonhava de Jesus Cristo levando em consideração tudo o que já foi escrito nesse artigo.

Do mesmo modo, e, para terminar com chave de outro, o Evangelho de São Mateus diz:

A quem hei de comparar esta geração? É semelhante a meninos sentados nas praças que gritam aos seus companheiros: Tocamos a flauta e não dançais, cantamos uma lamentação e não chorais. João veio; ele não bebia e não comia, e disseram: Ele está possesso de um demônio. O Filho do Homem vem, come e bebe, e dizem: É um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos devassos. Mas a sabedoria foi justificada por seus filhos” (Evangelho de São Mateus, Capítulo XI, Versos XVI ao XIX)

Caro leitor, observe como Jesus Cristo se referiria exatamente àquelas pessoas, no qual, escutavam suas pregações, a prova disso é que, no discurso, Jesus Cristo se refere ÁQUELA GERAÇÃO como sendo a GERAÇÃO que criticou João Batista, ou seja, jamais ele se referiu a uma geração futura, uma nação, raça, ou, simplesmente, A TODAS AS GERAÇÕES DE CRENTES EXISTENTES POR TODOS OS SÉCULOS E SÉCULOS (piada).

Conclusão:  

Foram várias as situações onde Jesus Cristo usa o temo: “ESTÁ GERAÇÃO” para com seus contemporâneos. O grande problema, aliás, a grande heresia protestante é deixar o racional, e, tentar fazer suas interpretações através do emocional, ou seja, através do ódio que a serpente (pai do protestantismo) sente da única Igreja de Cristo.

Em todas essas situações (acima), a protestada aceita perfeitamente que, Jesus Cristo se referia àquelas pessoas, no qual, escutavam suas pregações, porém, quando chegar ao famoso texto: “Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra”, simplesmente os rebelados mudam a forma com que eles fazem sua exegese, adulteram o que foi escrito e ludibriam seus leitores com suas sandices. Lamentável! 

Na realidade, todas as vezes que Jesus Cristo cita o termo: GERAÇÃO – ele se referia aos seus contemporâneos – fica evidente nos vários textos por mim citado, não seria diferente com esse texto:

“Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Verso XXXII)

Os pais da Igreja, assim como Euzébio, bispo de Cesareia, sabiam perfeitamente qual era o real significado do termo: ESTA GERAÇÃO. Ainda falando sobre as tribulações, usando o termo: GERAÇÃO, Euzébio, bispo de Cesareia diz:

“Tendo os que creram em Cristo emigrado até lá desde Jerusalém, a partir deste momento, como se todos os homens santos tivessem abandonado por completo a própria metrópole real dos judeus e toda a região da Judéia, a justiça divina alcançou os judeus pelas iniquidades que cometeram contra Cristo e seus apóstolos, e apagou dentre os homens toda aquela geração de ímpios (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo V, Verso III) 

Segundo Euzébio, bispo de Cesareia, durante as tribulações, a justiça Divina apagou dentro os homens, TODA AQUELA GERAÇÃO DE ÍMPIOS, sendo que, ele se referia aos Judeus que crucificaram Jesus Cristo e perseguiram os Apóstolos. Bem, pelo visto, Euzébio, bispos de Cesareia, sabia exatamente o real significado do termo: ESTÁ GERAÇÃO.

Nesse caso específico Euzébio estava interpretando exatamente os textos de: Mateus XXIV – Marcos XIII – Lucas XXI.

Caro leitor, seja católico, protestante, ou, simplesmente ateu, eu peço humildemente que leia esse artigo, porém, deixe o emocional de lado e use apenas o racional, eu tenho certeza que você irá acreditar na verdade, e, deixar de lado AS MENTIRAS DO APOCALIPSE PROTESTANTE.

Eu sei que alguns hereges virão com suas tentativas de refutação, porém, eu já adianto o tipo de refutação, no qual, esses hereges irão apresentar.

Futura refutação protestante: “Eu quero, quero, quero, quero e quero que geração seja nação, raça, ou, os crentes”.

Assim cai por terra mais uma mentira do Apocalipse protestante.

Autor: Cris Macabeus.   

Notas:

[1] Naquele dia, termo usado pelos Apóstolos para designar o Juízo Final.

[2] Inquietação do espírito que hesita em obrar receando que o ato não seja lícito.

[3] Corrupto e estragado.

[4] Comportamento que viola o que é considerado moral.

[5] O termo ficou conhecido por designar um grupo de pilotos suicidas na época da Segunda Guerra Mundial, conhecidos na época por Taiatari Tokubetsu Kogekitai​ ("Grupo Especial de Ataques por Choque Corporal").

Quem quiser saber mais sobre o assunto, acesse e leia meus artigos:

Quando foi escrito o Apocalipse?(Antipas Morreu!)

Tribulação (A FUGA EM DIA DE SÁBADO).

Jerusalém é a Grande Meretriz do Apocalipse.

Besta (Fera) do Apocalipse.

Jerusalém é a Grande Meretriz do Apocalipse.

Jerusalém é a Grande Cidade (babilônia)!